Prata da Fadinha, vitória no surfe e mais: o que rolou na madrugada da Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brasileira Rayssa Leal, de 13 anos, conquistou medalha de prata no skate street em Tóquio (Foto: JEFF PACHOUD/AFP via Getty Images)
Brasileira Rayssa Leal, de 13 anos, conquistou medalha de prata no skate street em Tóquio (Foto: JEFF PACHOUD/AFP via Getty Images)

O Brasil voltou a brilhar no terceiro dia oficial de competições em Tóquio. A madrugada de domingo para segunda-feira contou com mais um medalha para o skate brasileiro no Japão, vitórias no surfe outros astros em ação.

Perdeu algum detalhe? O Yahoo Esportes destaca o que de melhor rolou durante a madrugada olímpica do dia 3.

Leia também:

'Fadinha' de Prata

O ponto alto da madrugada veio com a skatista Rayssa Leal, de apenas 13 anos. A maranhense, conhecida como "Fadinha", conquistou a medalha de prata na disputa do skate street e se tornou a brasileira mais jovem da história a subir a um pódio olímpico.

A medalha de ouro foi para a japonesa Momiji Nishiya e a também japonesa Funa Nakayama fechou o pódio, ficando com o bronze.

Medina e Ítalo avançam no surfe

O Brasil classificou três representantes para as quartas de final do torneio de surfe dos Jogos. Entre os homens, Gabriel Medina e Ítalo Ferreira venceram suas respectivas baterias e seguem na disputa; Silvana Lima é a representante do país que ainda está na briga feminina.

A bateria mais complicada da madrugada foi a de Medina. O brasileiro venceu apertado o australiano Julian Wilson por 14.33 a 13.00. A próxima fase do surfe começa a ser disputada às 19h (de Brasília).

Novos casos de covid-19

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos 2020 informou nesta segunda mais 16 casos de covid-19 – três deles em atletas. Os competidores infectados, no entanto, não estavam na Vila Olímpica. Ao todo, 153 casos positivos da doença já foram contabilizados.

Tênis: Osaka e Djokovic vencem mais uma

Duas estrelas do tênis fizeram valer o favoritismo nesta madrugada. Primeiro, a japonesa Naomi Osaka superou a suíça Viktorija Golubic por 2 sets a 0 (6/3 e 6/2) e segue na briga pelo inédito ouro olímpico japonês na modalidade.

Já Novak Djokovic avançou à terceira fase do torneio de tênis nos Jogos após vencer o alemão Jan-Lennard Struff. A vitória foi tranquila, com o sérvio fechando em 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/3. O próximo adversário de Djoko será Davidovich Fokina, da Espanha.

EUA na frente

Principal potência dos Jogos, os Estados Unidos assumiram a liderança no quadro geral de medalhas pela primeira vez em Tóquio. Os EUA ultrapassaram os chineses após ouros no tiro esportivo e na natação. A delegação americana agora soma sete ouros, contra seis de China e Japão.

Doncic brilha no basquete

Luka Doncic, astro do Dallas Mavericks na NBA, deu seu show particular na vitória por 118 a 100 da Eslovênia contra a Argentina. Ele anotou incríveis 48 pontos na partida e registrou a segunda melhor marca individual das Olimpíadas, atrás somente dos 55 que Oscar Schmdit fez em 1988, em Seul.

Brasil perde no judô e handebol

A madrugada não foi boa para os brasileiros na disputa do judô e handebol masculino. Nas quadras, o Brasil perdeu para a França (34 a 29) e sofreu a sua segunda derrota no torneio.

Já no tatame, o peso-leve Eduardo Barbosa caiu na primeira fase após ser finalizado pelo francês Guillaume Chaine.

Vôlei de praia segue 100%

Última dupla brasileira a estrear no vôlei de praia em Tóquio, Ana Patricia e Rebecca tiveram vitória tranquila para cima das quenianas Makokha e Khadambi. Elas venceram por 2 sets a 0 (21/15 e 21/9) e mantiveram o 100% de aproveitamento do Brasil na modalidade nesta edição dos Jogos. Foram duas vitórias no masculino e duas no feminino até aqui.

Scheffer na final da natação

O brasileiro Fernando Scheffer avançou à final dos 200m livre da natação. Ele foi o terceiro colocado na sua bateria e garantiu um lugar na briga pela medalha olímpica. Essa é a mesma prova que o ex-nadador Gustavo Borges conquistou a prata em 1996, nos Jogos de Atlanta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos