Prata de Pedro Barros no skate, derrota no vôlei e Brasil perto do ouro no boxe: o que rolou no dia 13 da Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brasileiro Pedro Barros foi medalha de prata no skate park masculino em Tóquio (Foto: REUTERS/Mike Blake)
Brasileiro Pedro Barros foi medalha de prata no skate park masculino em Tóquio (Foto: REUTERS/Mike Blake)

O 13º dia oficial de competições foi agitado para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O país voltou ao pódio do skate, desta vez na modalidade park, mas viu o sonho do quarto ouro olímpico no vôlei masculino chegar ao fim. Os brasileiros também conseguiram duas vagas nas finais do boxe.

Perdeu algum detalhe? O Yahoo Esportes destaca o que de melhor rolou durante o dia 13 das Olimpíadas.

Leia também:

Pedro Barros é prata no skate park

O skate brasileiro voltou a subir ao pódio em Tóquio. Desta vez, Pedro Barros ficou com a prata na final do park na madrugada desta quinta-feira.

Nas três voltas da final, Pedro conseguiu 86.14 logo na sua primeira tentativa. Foi essa nota que garantiu a prata ao brasileiro – o ouro ficou com o australiano Keegan Palmer (95.83). O Brasil ainda tinha outros dois skatistas na final. Luiz Francisco terminou na quarta posição, e Pedro Quintas, na oitava.

Foi a terceira medalha do Brasil no skate nos Jogos. Kelvin Hoefler e Rayssa Leal também conquistaram medalhas de prata, mas na modalidade street.

Vôlei masculino: Brasil leva virada e perde na semi

O sonho do quarto ouro olímpico para a seleção brasileira masculina de vôlei chegou ao fim. Na madrugada, o Brasil levou a virada e perdeu para o Comitê Olímpico Russo por 3 sets a 1. Agora, a seleção vai em busca do bronze.

O jogo desta quinta começou com o Brasil em vantagem. A equipe venceu o primeiro set por 25 a 18, mas acabou superado na sequência (25/21, 26/24 e 25/23). No terceiro set, os brasileiros chegaram a ter oito pontos de frente.

É a primeira vez após quatro edições dos Jogos que o Brasil não vai disputar a final. A última vez que o título olímpico da modalidade foi decidido sem os brasileiros foi em Sydney-2000.

Boxe: Brasil vai disputar duas finais

A madrugada foi histórica para o boxe brasileiro. Beatriz Ferreira venceu a finlandesa Mira Potkonen por decisão unânime (5 a 0) e se classificou para a final da categoria peso leve. É a primeira vez que o Brasil tem uma mulher na final da modalidade.

Quem também vai disputar o ouro é Hebert Conceição. Na categoria peso médio, o baiano venceu o russo Gleb Bakshi por decisão dividida (4 a 1) e avançou à final da categoria.

As lutas decisivas serão no fim de semana. Hebert enfrenta o ucraniano Oleksandr Khyzhniak no sábado, enquanto Bia encara a irlandesa Kellie Harrington no domingo.

Basquete: EUA se garantem na final

Como esperado, os Estados Unidos estão em mais uma final olímpica no basquete. Os EUA venceram a Austrália por 97 a 78 e se aproximaram do 16º ouro do país na disputa masculina. Kevin Durant, com 23 pontos, foi o destaque da partida.

O adversário na final será França ou Eslovênia. Os franceses venceram os americanos na estreia dos Jogos, enquanto os eslovenos contam com o astro Luka Doncic.

Darlan Romani é 4º no arremesso de peso

Darlan Romani chegou perto, mas não conseguiu subir ao pódio em Tóquio. O brasileiro terminou em quarto lugar na final do arremesso de peso, com a marca de 21m88 – apenas 59 centímetros atrás do terceiro colocado, o neozelandês Thomas Walsh. O ouro ficou com o americano Ryan Crouser, que venceu com direito a recorde olímpico (23m30).

Atletismo: Brasil fica fora da final do revezamento 4x100m

Não deu para o Brasil no revezamento 4x100m. Entre os homens, o time brasileiro ficou em quinto lugar na sua série, com 38s34, e não avançou à final. Foi só o 12º melhor tempo na classificação geral.

Entre as mulheres, o resultado também não foi bom. As brasileiras ficaram na mesma quinta posição na série, com 43s15, e terminaram na 11ª colocação geral, sem vaga na final.

Caio Bonfim é 13º na marcha atlética

Após o quarto lugar na Rio-2016, Caio Bonfim passou longe do pódio nos 20km da marcha atlética nesta edição dos Jogos. O brasileiro completou o percurso em 1h23m21s e fechou a disputa em 13º – o vencedor foi o italiano Massimo Stano, com 1h21m05.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos