Ouro de Martine e Kahena, bronze de 'Piu' e Simone Biles no pódio: o que rolou no dia 11 da Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o bicampeonato olímpico na classe 49er FX da vela (Foto: REUTERS/Carlos Barria)
Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o bicampeonato olímpico na classe 49er FX da vela (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

A madrugada de terça-feira foi histórica nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Não só pelo ouro de Martine Grael e Kahena Kunze e bronze de Alison dos Santos, mas também pelo retorno de Simone Biles às competições. A estrela americana disputou a final da trave depois de quatro desistências em subiu ao pódio.

Perdeu algum detalhe? O Yahoo Esportes destaca o que de melhor rolou durante a madrugada e início da manhã do dia 11 das Olimpíadas.

Leia também:

É ouro! Martine e Kahena conquistam bi olímpico

Martine Grael e Kahena Kunze fizeram história nos Jogos Olímpicos. Após o ouro em 2016, a dupla brasileira está de novo no lugar mais alto do pódio. Na madrugada desta terça, elas ficaram em terceiro lugar na regata final, o suficiente para garantir o bicampeonato olímpico na classe 49er FX da vela.

É a sexta medalha de ouro da vela brasileira na história das Olimpíadas e a 19ª no total. Só a família Grael é responsável por nove delas. Torben tem cinco, Martine tem duas e Lars conseguiu mais duas.

Martine e Kahena se tornaram a primeira dupla feminina a conquistar dois ouros olímpicos seguidos. A espanhola Theresa Zabell tem duas medalhas de ouro na clase 470, mas com parceiras diferentes (Patricia Guerra em 1992, e Begoña Vía-Dufresne em 1996).

Thiago Braz é bronze

Campeão olímpico na Rio-2016, o brasileiro Thiago Braz levou a medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio-2020. Thiago Braz começou saltando com sucesso para 5,55m, 5,70m (na segunda tentativa), 5,80m (na segunda tentativa) e depois para 5,87m. Ele acabou falhando três vezes na tentativa de 5,92m. 

A medalha de bronze foi garantida depois que o francês Renaud Lavillenie, machucado no tornozelo e desafeto da torcida brasileira na Rio-2016, saiu da disputa depois de falhar no 5.92m. Como Lavillenie havia pulado o salto anterior de 5,87m, o brasileiro venceu.

Alison dos Santos é bronze

Alison dos Santos fez história para o atletismo brasileiro. Conhecido como "Piu", ele conquistou a primeira medalha da modalidade em Tóquio com o bronze nos 400m com barreiras. Ele conseguiu o tempo de 46s72, novo recorde sul-americano. O norueguês Karsten Warholm foi ouro, e o americano Rai Benjamin ficou com a prata.

Simone Biles volta e sobe ao pódio

O último dia da ginástica em Tóquio foi marcado pelo retorno de Simone Biles. Após desistir de quatro finais individuais para cuidar de sua saúde mental, a americana voltou a competir nesta terça e subiu ao pódio na final da trave. Ela ficou com o terceiro lugar e conquistou a sua sétima medalha olímpica.

Nos últimos dias, Biles explicou que estava sofrendo com twisties, um fenômeno da perda da noção de espaço. É uma espécie de bloqueio ou confusão mental que causa uma "desconexão" entre o corpo e a mente.

Ainda na final da trave, a brasileira Flávia Saraiva ficou com sétimo lugar. A China conseguiu uma dobradinha para ouro e prata com Guan Chenchen e Tang Xijing.

Boxe: Abner Teixeira é bronze; Bia Ferreira garante medalha

Abner Teixeira ficou com o bronze na categoria peso pesado após derrota para o cubano Julio La Cruz na semifinal desta terça-feira. É a primeira definição de pódio para o Brasil em Tóquio.

Além disso, o boxe brasileiro assegurou mais uma medalha nos Jogos com Bia Ferreira. Ela derrotou Raykhona Kodirova, do Uzbequistão, por decisão unânime, e garantiu um lugar na semifinal da categoria peso leve (até 60kg). Como a modalidade premia todos os semifinalistas, a brasileira já tem pelo menos o bronze garantido.

Isaquias e Jacky ficam fora do pódio

Na final dos 1000m da C2, Isaquias Queiroz e Jacky Godmann chegaram perto, mas não subiram ao pódio. A dupla brasileira cruzou a linha de chegada na quarta posição, com o tempo de 3min27s603. Os cubanos Serguey Torres Madrigal e Fernando Jorge ficaram com o ouro na disputa da canoagem.

Brasil vai à semi no vôlei masculino

A seleção brasileira masculina de vôlei está na semifinal em Tóquio. O Brasil venceu o Japão por 3 sets a 0 (25/20, 25/22 e 25/20) e está a apenas uma vitória de mais uma final olímpica. Na próxima fase, o adversário será o Comitê Olímpico da Rússia. A partida está marcada para quinta-feira.

Ana Patrícia e Rebeca são eliminadas

No vôlei de praia, as brasileiras Ana Patrícia e Rebeca se despediram da disputa após derrota para as suíças Verge-Depre e Heidrich nas quartas de final. Elas foram derrotadas por 2 sets a 1 (21/19, 18/21, 15/12).

Agora, a modalidade conta apenas com Alison e Álvaro na briga por uma medalha em Tóquio.

Basquete: EUA e Eslovênia na semifinal

No basquete masculino, duas seleções já têm lugar nas semifinais. Os Estados Unidos venceram a Espanha por 95 a 81 e agora aguarda o vencedor de Austrália x Argentina para disputar uma vaga na decisão. A Eslovênia de Luka Doncic também avançou depois de bater a Alemanha por 94 a 70.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos