Di Grassi vê punição branda a Buemi e diz que Frijns "não pensa nem um pouco" após batida em Sanya

Redação GP
Grande Prêmio

O eP de Sanya de Lucas Di Grassi foi encerrado a duas voltas do fim quando o piloto da Audi foi vítima de um toque de Sébastien Buemi em Robin Frijns. Após ser cutucado, o holandês acertou o meio do carro de Lucas e. Apesar de Buemi ter sido punido pelo incidente, Di Grassi não saiu satisfeito e ainda culpou Frijns também. 

De acordo com Di Grassi, Frijns também apresentou uma postura mais agressivo que o prudente e, no momento da batida, tentou fazer um movimento com o carro em meio à freada. Não conseguiu e abalroou a Audi. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Frijns foi muito agressivo, ele não pensa nem um pouco, e mesmo antes daquilo ele já estava [agressivo], comigo defendendo loucamente. Estava se mexendo e fazendo coisas insanas", disse ao site inglês 'E-Racing365'.

A pancada de Frijns em Di Grassi (Foto: Reprodução/Twitter)




"E aí Buemi foi muito agressivo, então um cara muito agressivo encontrou outro e os dois bateram. Não sei quem culpar, porque Frijns também se mexeu enquanto freava e Buemi bateu nele também porque se mexeu demais", seguiu.

"De qualquer forma, Frijns freou tarde demais e bateu em mim. Minha forma natural de ver é que os dois deveriam ser punidos para a próxima corrida", finalizou.

Em sua conta no Twitter, na manhã da segunda-feira, Lucas criticou a punição a Buemi. Segundo ele, o suiço deveria ter sido tirado da zona de pontos, já que apenas caiu de sexto para a oitavo com a adição de 10s no tempo total de corrida - posição que ocupava antes de causar a batida que tirou Frijns e Di Grassi da prova.

Mas Frijns não aceitou bem a crítica e preferiu tirar sarro do piloto da Audi, que acabou errando a escrita do nome do holandês no tuite. "Como você pode dizer que eu me mexi durante a freada quando nem consegue escrever meu nome?", cutucou.

Buemi, por sua vez, disse que ainda não tinha visto o incidente nas câmeras e que faria isso antes de qualquer conclusão.

"Quero ver o vídeo e conversar com os comissários. Estava olhando para a forma como ele [Frijns] estava guiando pelas últimas três ou quatro voltas. Eu era bem mais rápido. Antes de falar sobre o acidente quero ver claramente na câmera", falou.

Por fim, Lucas falou sobre o erro que cometeu para pegar o modo ataque durante a corrida. Segundo ele, os 4s que perdeu nos dois erros no contorno da curva três foram compensados durante a prova. 

"Tentei usar o modo ataque e errei. Foi erro meu. Entrei com muita velocidade, errei, mas, no fim das contas, não perdi tempo. Errei duas vezes - uma vez eu estava rápido demais e na outra estava lento demais. Foi culpa minha, mas nós estávamos tão rápidos que recuperamos aqueles 4s", finalizou.

A FE volta em 13 de abril, na Itália.

Leia também