Dez jogos e pressão por arrancada: confira cinco curiosidades da 'Era Ceni' no Flamengo

Lazlo Dalfovo
·3 minuto de leitura


Desde novembro no Flamengo, Rogério Ceni acumula dez jogos sob o comando da equipe, em um período que tem sido marcado por quedas traumáticas (Copa do Brasil e Libertadores), sobretudo. E, pressionado e a fim de mudar o panorama para arrancar no Brasileiro, o técnico tem o clássico contra o Fluminense no horizonte, a ser disputado nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã e pela 28ª rodada.

No véspera do Fla-Flu, o primeiro compromisso rubro-negro de 2021, o LANCE! traz cinco curiosidades envolvendo a "Era Ceni" até aqui, neste recorte de dez jogos (dois pela Copa do Brasil, dois pela Libertadores e seis no Brasileiro). Veja:

O MAIOR GOLEADOR

Gabriel Barbosa - Flamengo x Santos
Gabriel Barbosa - Flamengo x Santos

Na temporada, Gabigol tem 20 gols (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Mesmo só tendo jogado metade dos jogos sob o comando de Rogério Ceni, por conta de lesões, Gabigol é o jogador que mais balançou as redes no período. Em cinco jogos, foram quatro gols (um na estreia do técnico, contra o São Paulo, um contra o Racing-ARG e dois diante do Santos).

O time todo fez 16 gols com Ceni. Aliás, Gabi retorna de suspensão para o jogo desta quarta-feira.

BRUNO HENRIQUE, O MAIS EFETIVO

Bruno Henrique e Rogério Ceni
Bruno Henrique e Rogério Ceni

Garçom: BH tem três assistências (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Gabigol é o maior artilheiro levando em consideração a "Era" atual, mas é Bruno Henrique o mais efetivo quanto a participações diretas em bolas na rede. São três gols marcados (todos pelo Brasileiro: diante de Atlético-GO, Coritiba e Bahia) e três assistências para a conta do "Rei dos Clássicos", que terá uma nova oportunidade de fazer jus à alcunha nesta semana e que protagoniza também o próximo item.

A DUPLA 100% ENTRE OS 11

Gerson - Flamengo x Sport
Gerson - Flamengo x Sport

Gerson iniciou todos os jogos entre os 11 (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

Gerson e Bruno Henrique são os únicos atletas do elenco que atuaram em todos os jogos iniciando entre os titulares com Ceni. Os dois têm sido peças fundamentais para que a engrenagem do Flamengo produza. E, se Gerson não chama a atenção com gols e assistências, brilha na função de "motorzinho" da equipe, tanto que só foi substituído duas vezes neste ínterim. Bruno Henrique, a título de curiosidade, foi trocado em quatro ocasiões, até aqui.

AS ZAGAS MAIS UTILIZADAS

Rodrigo Caio - Flamengo
Rodrigo Caio - Flamengo

Rodrigo Caio voltou de lesão há três jogos (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

Um livro da temporada atual não pode deixar de ter um significativo capítulo para contar sobre o sistema defensivo, sobretudo acerca das duplas de zaga, uma vez que o setor é o calcanhar de aquiles do Flamengo. Léo Pereira e Gustavo Henrique, contratados no início de 2020, por exemplo, não passam confiança, tanto que só um deles integra uma das duplas de zaga mais utilizadas por Ceni: Thuler e Léo Pereira, em três ocasiões.

Rodrigo Caio e Natan compõe a outra dupla que também é recordista, com três jogos (os três últimos). Inclusive, ambos devem seguir como titular na equipe que jogará nesta quarta, o que seria uma sequência inédita para o setor desde o início do Brasileirão (veja mais aqui).

OS RESERVAS MAIS ACIONADOS

Diego, Gabigol, Vitinho e Rogério Ceni - Treino
Diego, Gabigol, Vitinho e Rogério Ceni - Treino

Diego e Vitinho são os principais trunfos do banco (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Até aqui, Vitinho e Diego são os reservas mais acionados por Rogério enquanto estão no banco. A dupla entrou em cinco dos dez jogos sob o comando do técnico, sendo que Vitinho atuou em todas as partidas - ou seja, quando não iniciou entre titulares, foi utilizado como suplente, cuja situação ocorreu nas quatro últimas partidas. O camisa 11 tem um gol na "Era Ceni" (saindo do banco, inclusive, na vitória contra o Bahia).

> Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

NÚMEROS DA 'ERA CENI'

Jogos: 10
Gols marcados: 16
Gols sofridos: 13
Aproveitamento: 53,3%