Dez anos do gol 100: o histórico entre Rogério Ceni e Corinthians

Gabriel Santos
·4 minuto de leitura


Há dez anos, no dia 27 de março de 2011, Rogério Ceni fazia um gol de falta na vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Corinthians, na Arena Barueri. O gol foi o número cem do ex-goleiro na carreira, marcado justamente contra o maior rival do Tricolor.

Dez anos do gol 100: saiba os clubes que mais sofreram gols de Rogério Ceni

Essa foi a cereja do bolo de uma história repleta de polêmicas, gols marcantes e provocações entre as partes. Com isso, o LANCE! mostra alguns capítulos dessa longa trajetória, que continua com Ceni como técnico.

CONFIRA A TABELA DO CAMPEONATO PAULISTA ATUALIZADA!

Rival algoz na carreira
Goleiro artilheiro, Rogério virou a 'vítima' favorita dos corintianos desde o início da rivalidade em 1990, época na qual Ceni chegou ao São Paulo e começou a ter espaço na equipe. O ex-jogador venceu 21 partidas e empatou outras 21, mas viu os corintianos vencerem 26 vezes no confronto direto.

Além disso, ao longo de mais de 20 anos de carreira, Rogério Ceni teve o Corinthians como principal algoz na sua história. O Alvinegro foi o clube que mais marcou gols no arqueiro são-paulino, com 95 ao todo.

Centésimo gol para a história
No entanto, o feito mais lembrado favorece a Rogério Ceni. Na Arena Barueri, pela 16ª rodada do Campeonato Paulista, o gol 100 de Rogério na vitória são-paulina por 2 a 1, ainda contribuiu para o clube encerrar o jejum de quatro anos sem vencer o Clássico Majestoso. Na ocasião, o São Paulo assumiu a vice-liderança do Paulistão ultrapassando justamente o Corinthians.

Ao todo, Ceni marcou 131 gols com o São Paulo, sendo três em cima do Corinthians.


'Gritam no Morumbi porque não têm estádio'
Em 2005, São Paulo e Corinthians se enfrentaram no Estádio do Morumbi e o ex-goleiro ironizou o Corinthians após o empate por 1 a 1 ao afirmar que o time de Itaquera não tinha estádio. Vale lembrar que na época, o Timão disputava partidas com público superior a 50 mil no estádio do São Paulo, uma vez que a Arena não existia e a capacidade do Pacaembu era de 40 mil.

- Eles têm que gritar aqui [Morumbi] mesmo porque não têm estádio - disse Ceni em resposta aos gritos de “é campeão” dos corintianos no estádio do tricolor. Na ocasião, o empate deixou o Alvinegro com vantagem de sete pontos sobre o vice-líder da competição, o Internacional.

'Jamais torcer para o Corinthians!'
São Paulo e Corinthians estavam no mesmo grupo durante a Libertadores de 2015. Na ocasião, o Tricolor dependia de um bom resultado do Alvinegro para ter chances de classificação na chave.

O goleiro, no entanto, ao ser questionado em entrevista, se torceria para o Corinthians vencer e facilitar a vida do São Paulo disse: - Não! Jamais torcer para o Corinthians!


'Ajoelha Ceni' e adiantada no pênalti
Em 2013, São Paulo e Corinthians protagonizaram duelos marcantes, principalmente no Campeonato Paulista. Na primeira fase, Ceni fez pênalti em Alexandre Pato, na época jogador do Alvinegro.

Imediatamente, o goleiro levantou-se para rebater a decisão do árbitro. Depois de muito conversar, Rogério Ceni ajoelhou em pleno Estádio do Morumbi à frente do juiz para pedir que voltasse atrás na decisão. A cena gerou diversos memes e o bordão 'Ajoelha Ceni'

Pouco tempo depois, os times se encontraram nas semifinais do estadual. A decisão foi para os pênaltis. Ceni, de cavadinha, converteu a primeira cobrança. Porém, no final, bastava o Corinthians acertar para chegar à decisão. Pato bateu, mas Ceni defendeu. No entanto, ele se adiantou mais de dois metros e o pênalti foi batido novamente.

Pato foi para a cobrança e acertou, ainda provocando o goleiro com um sinal para 'abaixar a bola', classificando o Alvinegro para a decisão. O lance é até hoje sempre lembrado pela torcida.


Comandar o Corinthians na beira do campo?

Após a aposentadoria, Ceni virou treinador, com passagens pelo São Paulo, Fortaleza e Flamengo, onde está atualmente. No entanto, em setembro do ano passado, Andrés Sanchez, então presidente do Corinthians, afirmou que pensava na contratação.

- Sem problema nenhum (contrataria). Vai ser um dos melhores treinadores do Brasil. É uma grande pessoa, não é mais atleta. Ele sempre respeitou o Corinthians, nunca ofendeu ou tirou sarro, como alguns já fizeram. Não teria nenhum problema de contratá-lo, não - afirmou ao programa 'Aqui com Benja'.

No entanto, em entrevista à Jovem Pan, Ceni tratou de afastar a possibilidade, relembrando de seu passado no Tricolor.

- Eu acho que foi o Galiotte que falou uma vez… Que não é conveniente! Eu tenho o maior respeito pelo Corinthians e pelo Palmeiras, mas você já imaginou aquele torcedor do São Paulo que fez uma tatuagem no braço? Assim, por mais que você goste do futebol, e isso é da profissão, eu acho muito difícil que, primeiro, exista um interesse. Eu acho que não existirá um interesse de Palmeiras e Corinthians para me contratar. E, segundo, seria muito improvável por essa história que se criou (no São Paulo). Acho até que perderia um pouco de todo o contexto da história que se criou, do respeito, mas também da rivalidade que existe - afirmou.

Resta saber quais serão os próximos capítulos dessa história repleta de rivalidade entre Rogério Ceni e Corinthians.

São Paulo 2 x 1 Corinthians, 27/3/2011, Arena Barueri: Ceni festeja gol histórico, o número 100 da carreira (Tom Dib)
São Paulo 2 x 1 Corinthians, 27/3/2011, Arena Barueri: Ceni festeja gol histórico, o número 100 da carreira (Tom Dib)

Ceni comemora o gol 100 (Foto: Tom Dib)