Destaque na França, zagueiro brasileiro comemora 'temporada de espetacular' pelo Lille


Gabriel Magalhães viveu uma temporada de confirmação no futebol europeu. Aos 22 anos, o zagueiro disputou 34 partidas pelo Lille - sendo 33 como titular -, fez sua estreia na Liga dos Campeões e, com a decisão da federação francesa em encerrar a Ligue 1 antecipadamente por conta da pandemia do coronavírus, contribuiu para o quarto lugar da equipe na competição.

Os números do defensor, que foi o maior passador e quem mais bloqueou finalizações rivais no Lille, comprovam a boa fase do zagueiro de 22 anos, que foi lembrado pelo tradicional diário "L'Equipe" entre os dez melhores defensores da temporada 2019/20 na França, à frente de Thiago Silva, do PSG.

- Sem dúvida foi uma temporada espetacular. Agradeço demais meus companheiros de equipe e a comissão técnica. Eles foram fundamentais para que eu pudesse me destacar individualmente. Estar na seleção do L’Équipe é motivo de orgulho e mostra que o trabalho até aqui tem sido bem feito. Foi uma temporada muito especial na minha carreira. Sinto que estou muito mais preparado para os desafios que estão por vir - comemorou Gabriel Magalhães.

Revelado pelo Avaí em 2016, Gabriel foi negociado com o Lille já naquele ano, deixando o futebol brasileiro ainda aos 19 anos. Antes de firmar-se no clube atual, foi emprestado ao Troyes, também da França, e ao Dínamo Zagreb, da Corácia, entre 2016 e 2018. Para o defensor, foram passos fundamentais para o momento que vive agora.

- Eu sou um atleta muito diferente daquele que era quando cheguei na Europa. Os empréstimos, principalmente para o Dínamo Zagreb, me fizeram evoluir muito. No Dínamo pude jogar com frequência, pegar confiança e evoluir taticamente. Apesar desta temporada ter sido meu grande momento na Europa, os anos anteriores que me deram base para que isso acontecesse. É seguir trabalhando e evoluindo - avaliou Gabriel, que completou sobre a não ida do Lille para a próxima Champions League com o quarto lugar na Ligue 1:

- Infelizmente as autoridades decidirem pelo fim precoce do campeonato. Claro que todo jogador quer estar em campo, jogando. E todo esportista tem sempre o desejo de lutar até o fim. Infelizmente terminamos em 4º lugar, um ponto só atrás do Rennes e ficamos fora da Champions da próxima temporada. Fica a frustração, mas também o entendimento de que foi feito o melhor para o bem de toda a população. Vivemos um momento difícil no mundo todo e qualquer pensamento egoísta neste momento não nos levará a lugar nenhum - afirmou.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também