Destaque desta temporada, Tandara relembra trajetória do Vôlei Nestlé

Carolina Alberti e Jonas Moura
A ponteira do time de Osasco também comentou sobre os três prêmios que recebeu e avisa que ' a temporada ainda não acabou'

Apesar da derrota para o Rexona-Sesc no tie break, a ponteira do Vôlei Nestlé, Tandara, um dos destaques desta edição da Superliga, busca o lado bom da grande final. A Craque da Galera, de 28 anos, relembrou a desconfiança que beirara o time de Osasco na faze dos playoffs e acredita que a equipe está de parabéns pela campanha.

- A gente chegou muito desacreditado e criticado, com muita gente falando que íamos morrer nas quartas. Nós viemos para a final e fizemos o que podíamos. Acredito que defendemos a camisa do Vôlei Nestlé muito bem. Eu saio com a minha cabeça tranquila, sabendo que eu fiz o que poderia fazer.

Nos playoffs, o time da melhor sacadora da Superliga passou pelo Fluminense nas quartas (2x0) e Dentil/Praia Clube nas semis (3x0).

Após um quarto set muito envolvente, o Vôlei Nestlé sofreu um apagão no tie break e acabou deixando o time carioca próximo de seu 12ª título. O quinto set terminou em 15 a 6 para o Rio. Apesar do amplo placar, Tandara não vê u último set da final como 'o mais doído'.

- Eu encaro como um time guerreiro, que buscou o tempo inteiro. O quinto set mostrou o quanto o time queria também. Parabéns para Rio, elas erraram um pouco menos do que a gente. Nós arriscamos o que podíamos e não podíamos, estamos de parabéns - disse a maior pontuadora da competição, que completou:

- Eu acho que este jogo não foi diferente do que a gente vez a temporada inteira. Buscamos em todos os jogos, sabendo das nossas dificuldades. O jogo foi muito bom e a gente buscou, mas infelizmente no quinto set, elas vieram muito bem, parabéns ao Rio.











Além da medalha de prata, a número 16 no time paulista ficou com três prêmios individuais: Craque da Galera, maior pontuadora e melhor sacadora. Apesar de serem conquistas individuais, Tandara fez questão de compartilhar com as companheiras.

- Eu não seria ninguém sem Dani Lins levantando a Brait, Malesevic e Gabi me ajudando no passe, me cobrindo o tempo inteiro. Não é fácil. Eu tenho que agradecer à minha equipe por cada prêmio conquistado.

A ponta também destacou um crescimento como profissional.

- Os prêmios vieram muito bem, eu fico muito grata porque foi o resultado de um trabalho bem feito e eu vim buscando isso ao longo da temporada. Eu acredito que, hoje, a Tandara atleta cresceu muito e eu aprendi muito, este time me ensinou muito.

Mesmo com o fim da Superliga, a temporada do Vôlei Nestlé ainda não acabou. O time de Osasco disputará entre os dias oito a 14 de maio, no Japão, o Mundial de Clubes.








E MAIS: