Desorganizado e dominado, Botafogo perde em casa para o Barcelona-EQU

Vinícius Britto

Da festa ao desespero. Desorganizado e diante de um adversário letal, o Botafogo desperdiçou ótima chance de se garantir nas oitavas da Libertadores. Para piorar, viu o Barcelona-EQU vencer em pleno Nilton Santos, por 2 a 0, e se isolar na liderança do grupo A. Uma noite para se esquecer. Ou corrigir.

A grande festa na entrada da equipe, com direito a muito foguetório, era um presságio de um jogo coberto de tensão. O Glorioso entrou nervoso, com o cartão logo cedo de Airton comprovando. Aos 6 minutos, o balde de água fria. Ayoví recebeu de Álvez, deixou Carli para trás na corrida e tocou na saída de Gatito. O pior acontecia, indicando ainda o que estava por vir na sequência.

Posteriormente, o esquema com três atacantes acabou não dando certo. A equipe era espaçada, com Pimpão e Guilherme muito mal no jogo. A criação, pouco eficaz, com o meio vazio. E em grande atuação coletiva, o Barcelona-EQU logo aumentou: Álvez aproveitou saída desastrosa de Gatito - paraguaio foi mal nos 90 minutos - e a falha de Emerson Silva - para, aos 23 minutos, tocar para o gol vazio e transformar a noite - antes de euforia - em um pesadelo no Nilton.

Até o intervalo, o Botafogo chegou a criar chances. Guilherme desperdiçou uma saída cara-a-cara com Banguera, quando se enrolou com a bola. Aos 35, João Paulo também saiu de frente, parando no goleiro rival. As finalizações não eram com qualidade. E o contra-ataque equatoriano era perigosíssimo. Aos 39, Emerson Silva salvou bola em cima da linha no chute de Valência. O 2 a 0 ficou barato, com o time de Jair Ventura sem ter reação alguma dentro do período.

As lesões de Camilo e Emerson Silva - entraram Roger e Marcelo - fizeram o Botafogo ter quatro atacantes em campo no segundo tempo. Logo aos dois, o Barcelona acertou o travessão de Gatito em cobrança de falta. A equipe seguia com um buraco no meio-campo, sendo este bem explorado pelo Barcelona.

Sassá e Roger ainda desperdiçaram chances inacreditáveis, ambas dentro da pequena área. As oportunidades vinham em chutões e lançamentos de longe. Toque de bola pouco se viu. E não foi o bastante para marcar o seu golzinho.

No final, um Botafogo exposto, que fugiu de suas características e pagou um preço caro. Derrota doída e merecida dentro da sua casa, que só tinha visto vitória até o momento. Os botafoguenses ainda apoiaram a equipe no apito final. Atlético Nacional e Estudiantes agradecem o resultado no grupo A.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 x 2 BARCELONA-EQU
Data/hora: 02/05/17, às 21h45
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Arbitragem: Mario Díaz Vivar (PAR)
Cartões amarelos: Airton, Emerson e Marcelo (BOT); Calderón e Pineida (BAR)
Público e renda: 31.435 pagantes - 34.034 presentes - R$ 1.520.630,00

Gols: Ayoví - 6'/1°T (0-1) e Álvez - 23'/1°T (0-2)

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Emerson, Carli, Emerson Silva (Marcelo) e Victor Luís; Airton (Fernandes), João Paulo e Camilo (Roger); Guilherme, Rodrigo Pimpão e Sassá - Técnico: Jair Ventura.

BARCELONA-EQU:
Banguera, Valencia (Erick Castillo), Aimar, Arreaga e Pineida; Gabriel Marques, Calderón (Segundo Castillo), Alemán (Ariel) e Velasco; Ayoví e Álvez - Técnico: Guillermo Almada.
























E MAIS: