Desfalcado por Covid-19, River Plate se vira sem goleiro e vence jogo da Libertadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O River Plate conseguiu um resultado improvável, na noite de quarta-feira (19), e venceu uma partida importante da Copa Libertadores sem um goleiro de ofício. Gravemente desfalcado por um surto de Covid-19 no elenco e com o meio-campista Enzo Pérez improvisado no gol, o time argentino derrotou o Santa Fe, da Colômbia, por 2 a 1.

A equipe de Marcelo Gallardo teve de atuar nessas condições porque 20 de seus atletas foram infectados pelo novo coronavírus, entre eles os quatro guarda-metas inscritos na competição. Eram 11 os jogadores à disposição do treinador, que precisou fazer uma série de improvisações para o duelo no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

O clube tentou inscrever emergencialmente o jovem arqueiro Alan Díaz, de 21 anos, mas o pedido foi negado pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). A entidade explicou que os argentinos poderiam ter enviado uma lista com até 50 nomes, porém preferiram correr o risco de incluir na relação só 32 jogadores.

Apenas dez deles estavam aptos a desempenhar suas funções habituais nesta quarta. O 11º escalado foi justamente Enzo Pérez, que, em recuperação de lesão muscular na coxa direita, teve forças suficientes para atuar como goleiro. O meio-campista de 35 anos acabou sendo vazado uma vez e contribuiu para o triunfo do River, novo líder do Grupo D.

A equipe portenha chegou aos nove pontos e, a uma rodada da conclusão da chave, ultrapassou o Fluminense, estacionado nos oito. Na última rodada, na próxima terça (25), o time carioca enfrentará o próprio River, possivelmente ainda remendado, na Argentina. Se perder, poderá ser ultrapassado pelo Junior Barranquilla, da Colômbia, que tem seis e encarará o eliminado Santa Fe.

Em Buenos Aires, o River Plate fez o que estava ao seu alcance para obter o resultado improvável. Antes de que os adversários acordassem para a partida, o placar já apontava 2 a 0 para os donos da casa, que aproveitaram falhas da defesa do Santa Fe para marcar aos três e aos seis minutos do primeiro tempo, com Angileri e Álvarez.

Os visitantes, mesmo diante de um rival com um goleiro improvisado, não chutavam no gol. Insistiam em cruzamentos, quase sempre cortados com facilidade. Em um deles, Pérez mostrou dificuldade e jogou a bola para escanteio. Pouco depois, praticou uma defesa, embora a finalização não tivesse a direção do gol.

No segundo tempo, o esperado desgaste acabou chegando para a formação argentina, que se fechava como podia e, com o banco de reservas vazio, não tinha substituições para fazer. Aos 28 minutos, enfim, o Santa Fe conseguiu balançar a rede, em jogada sem responsabilidade de Pérez. Osorio recebeu perto da pequena área e se atirou na bola para colocá-la no canto esquerdo.

Havia tempo para os colombianos armarem uma pressão, mas lhes faltou competência para evitar a derrota. Palacios chegou a ter uma oportunidade na área e finalizou muito mal, para fora. Enzo Pérez se segurou e saiu de campo eleito como o melhor jogador da partida em uma das jornadas mais marcantes de sua carreira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos