Deschamps se recusa a comentar afastamento de Le Graët da presidência da Federação Francesa de Futebol

O técnico da seleção francesa Didier Deschamps se recusou nesta quarta-feira a comentar a suspensão do presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF) Noël Le Graët, decidida pouco antes pela Comitê Executivo da entidade, embora tenha avaliado as suas declarações sobre Zinedine Zidane como "inadequadas".

Depois de várias polêmicas e de seus comentários com referências a Zidane no RMC no domingo, Noël Le Graët foi "afastado" da presidência da FFF nesta quarta-feira, durante uma reunião extraordinária da sua Comitê Executivo.

"Antes que me façam perguntas, prefiro dizer algumas palavras sobre as declarações do meu presidente. Seus comentários (sobre Zidane), como ele reconheceu e admitiu, foram inapropriados", disse Deschamps aos jornalistas em Nice durante o lançamento de uma campanha beneficente da qual é apoiador.

"Acho muito bom que ele tenha se desculpado com 'Zizou", acrescentou o treinador.

"A situação esportiva trouxe uma rivalidade esportiva entre nós, para alguns até um conflito. Sempre terei muito respeito por ele pelo que vivemos e compartilhamos juntos. Já na nossa primeira vida como jogadores e por quem ele é, o que representa no futebol e no esporte francês", acrescentou Deschamps, cujo contrato foi renovado até 2026, decisão validada nesta quarta-feira pela Comitê Executivo.

Perguntado novamente por um jornalista sobre a suspensão de Le Graët, o ex-jogador revelado no Nantes se recusou a falar mais: "Não está previsto, não está previsto hoje".

Rodeado de crianças com quem tirou inúmeras fotos, Deschamps participou do lançamento da 34ª edição da campanha de solidariedade Moedas Amarelas em Nice, acompanhado por Brigitte Macron, esposa do Presidente da República Emmanuel Macron.

ebe/ol/dam/mcd/aam