Derbi que mudou a década do Corinthians completa 10 anos; relembre

Fábio Lázaro
·3 minuto de leitura


Um Dérbi que poderia mudar a trajetória corintiana nos últimos 10 anos. No dia 6 de fevereiro de 2011, Palmeiras e Corinthians se enfrentaram no estádio do Pacamebu, com mando Alviverde, pela sétima rodada do Campeonato Paulista, quatro dias depois do Timão ser eliminado na pré-Libertadores pelo Tolima, na Colômbia.

O time de Parque São Jorge entrou em campo extremamente pressionado. No entanto, embora na berlinda, por conta da desclassificação antes mesmo da fase de grupos do torneio continental, no qual o Corinthians ainda não havia vencido, o técnico Tite foi mantido no cargo pelo presidente Andrés Sánchez, à época.

> Veja a classificação do Brasileirão e simule os próximos jogos

Mosaico Palmeiras Corinthians 2011
Mosaico Palmeiras Corinthians 2011

Com mosaico, torcida do Palmeiras provocou corintianos por eliminação na pré-Libertadores, em 2011 (Foto: Acervo L!)

Antes da partida, a torcida palmeirense provocou o rival, com uma mosaico que formava a expressão "Ha ha ha", em alusão aos risos pela eliminação do adversário. Mas, quem riu por último foi o Timão, que, em jogo tenso, de grande atuação do goleiro Julio César, venceu por 1 a 0, gol marcado pelo lateral-direito Alessandro, que recebeu pela direita, invadiu a área e tocou na saída do goleiro Marcos.

Um ano depois, o atual gerente de futebol corintiano, levantaria a inédita taça da Libertadores do clube. Mas muitos garantem que isso não seria possível se no dia 6 de fevereiro de 2011, o time de Parque São Jorge não vencesse aquele Dérbi.

Rivalidade entre os técnicos

No mesmo ano de 2011, Corinthians e Palmeiras protagonizaram ambos embates. No banco de reservas, o clima entre os técnicos Tite e Felipão era hostil. No fim de 2010, o treinador corintiano entendeu que o Alviverde havia entregado uma partida para o Fluminense, pela penúltima rodada do Brasileirão, para prejudicar o Timão, fato negado por Scolari. Na véspera do jogo pela primeira fase do Paulista, o técnico do Palestra deu uma declaração onde afirmou que preferiria perder o clássico, se garantissem que o Adenor Leonardo Bacchi seria demitido, caso perdesse. O comandante do Alvinegro rebateu, após a vitória, que tudo o que conquistou na carreira havia sido com o suor do trabalho, não caridade.

Na semifinal do Paulistão, os rivais se encontraram, no mesmo palco, em jogo que ficou marcado por uma discussão entre os treinadores e a célebre frase de Tite para Luiz Felipe Scolari: "Fala muito!". O jogo terminou empatado, mas o Timão se classificou nos pênaltis.

Título brasileiro

Ainda em meio a animosidade, Corinthians e Palmeiras se enfrentaram na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011, no que marcou o primeiro título da "Era Tite" no Timão.

A iniciativa da CBF de preencher as últimas rodadas com clássicos era uma estratégia para deixa-las competitivas. O Alvinegro foi a campo naquele domingo, 4 de dezembro, que marcou a morte do ídolo Sócrates, precisando apenas de uma vitória para se sagrar campeão nacional. O jogo tenso, mesmo com o empate em 0 a 0, deu o campeonato aos corintianos, já que o Vasco, que brigava pelo caneco, ficou no 1 a 1 contra o Flamengo, no Maracanã.

Dali em diante...

Nos prumos da conquista, o Corinthians venceu mais nove títulos desde então: um mundial, uma Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, dois Brasileiros e quatro Paulistas, desses cinco sob o comando de Tite, quatro ainda na sua segunda passagem - o treinador já havia dirigido o Timão em 2004 - e um na terceira, quando retorna em 2015, após um ano sabático, em 2014.

O professor Adenor deixou o Alvinegro em junho de 2016, e os demais títulos recentes foram conquistados por Fábio Carille, seu ex-auxiliar, são eles: o Brasileiro de 2017 e os Paulistas de 2017, 2018 e 2019.