Dérbi foi bom em Itaquera. Chuva ajudou o Corinthians

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Mateus Vital disputa lance com Lucas Lima, no empate de 2 a 2, na Neo Química Arena.  Foto: Marcello Zambrana/AGIF
Mateus Vital disputa lance com Lucas Lima, no empate de 2 a 2, na Neo Química Arena. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

O Dérbi entre Corinthians e Palmeiras foi realizado em meio a muitas críticas. Algumas plausíveis, outras nem tanto. O jogo poderia ter sido adiado pelo fato do Palmeiras estar disputando uma decisão de torneio nacional, numa proteção da Federação a um filiado. Mas a entidade manteve o clássico e vimos uma disputa interessante, na Neo Química Arena. 

O início foi todo do Palmeiras, que fez 2 a 0 sem muito esforço e aproveitando os espaços deixados pelo meio-campo corintiano. Lucas Lima abriu o placar e Gabriel Silva fez o segundo, após bom lance de Willian. Parecia que o Palmeiras poderia golear. Aí, surgiu o fato novo: caiu um "dilúvio" e o gramado ficou encharcado, equilibrando a partida. O peso do campo atrapalhou a maior técnica do Palmeiras e melhorou para o Corinthians, com mais combate e disputa física. 

Num cruzamento de Jemerson, Matheus Vital descontou e colocou o Corinthians na busca do empate. Na volta do intervalo, Rodrigo Varanda igualou o escore, depois de um passe de três dedos de Vital. O Corinthians conseguiu um empate inesperado, pelo que foi o começo do Dérbi. 

Com a diminuição da chuva e as susbtituições realizadas, a qualidade caiu e o jogo ficou mais de intermediária para intermediária, sem criações e ideias ofensivas. Pela eficiência corintiana, aliada ao bom desempenho palmeirense no início, o empate acabou sendo justo. 

O Corinthians precisa de reforços e o Palmeiras mostrou que tem um bom elenco para fazer uma boa campanha no Paulista, poupando seus principais nomes.