COI e IPC confirmam a realização dos Jogos Paralímpicos até 2032

EFE

Jeongseon, 10 mar (EFE).- O alemão Thomas Bach e o brasileiro Andrew Parsons, respectivos presidentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Paralímpico Internacional (IPC), assinaram neste sábado um histórico acordo de longo prazo que estabelece uma associação das duas organizações até pelo menos o ano de 2032.

O novo acordo se baseia nos acordos atuais de parceria e cooperação que foram assinados antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012.

Como resultado da nova parceria, o COI seguirá obrigando a qualquer anfitrião dos Jogos Olímpicos a organizar os Jogos Paralímpicos, segundo informou o IPC em comunicado oficial.

Além disso, o COI e o IPC trabalharão juntos para aumentar a visibilidade dos Jogos Paralímpicos e melhorar a sua marca, e as duas organizações irão aprofundar a cooperação existente, especificamente na implementação da agenda para 2020, algo que consideram um roteiro estratégico para o futuro do movimento.

Este acordo proporcionará estabilidade financeira ao IPC durante pelo menos os próximos 14 anos, dos quais o movimento paraolímpico inteiro se beneficiará.

Thomas Bach, presidente do COI, disse que "melhorar a cooperação entre o movimento olímpico e paralímpico foi uma das principais recomendações da agenda olímpica de 2020".

"O COI tem o prazer em fortalecer seu apoio substancial ao IPC e a todo movimento paralímpico, pois compartilhamos muitos dos objetivos", afirmou Bach.

Andrew Parsons, presidente do IPC, disse que "fortalecer a relação com o COI e assegurar o futuro do IPC e o movimento paralímpico foi a prioridade número um" quando foi eleito presidente da entidade, em setembro do ano passado.

"Não cabe dúvida que o IPC e o movimento paralímpico não estariam onde estão hoje sem o apoio e a cooperação com o COI. As duas organizações compartilham a paixão de que o esporte pode mudar vidas e o mundo", afirmou o brasileiro, após assinar o acordo.

"É apropriado que este acordo seja assinado aqui na Coreia do Sul, já que foi neste país que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos se uniram como um evento esportivo em Seul, em 1988. Trinta anos depois, estamos aqui em PyeongChang para a maior concentração paralímpica. Os Jogos de Inverno até o momento apresentam um número recorde de atletas, países, emissoras e veículos de imprensa", concluiu Parsons. EFE


Leia também