Depois de brilhar contra Lewandovski, Ochoa é superado por Messi

*ARQUIVO* Fortaleza, CE, 17-06-2014 - Goleiro do México, Guilermo Ochoa - Brasil x México empatam em 0 x 0, no Estádio Castelão. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* Fortaleza, CE, 17-06-2014 - Goleiro do México, Guilermo Ochoa - Brasil x México empatam em 0 x 0, no Estádio Castelão. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois de brilhar na partida de estreia da seleção mexicana na Copa do Mundo do Qatar, quando defendeu um pênalti cobrado pelo astro polonês Lewandovski, garantindo o empate, o goleiro Guillermo Ochoa não conseguiu parar o chute de Lionel Messi, que abriu o caminho para o triunfo argentino por 2 a 0 neste sábado (26), em Lusail.

Aos 29min do segundo tempo, o craque argentino acertou um chute forte de fora da área, mandando a bola no canto esquerdo do gol de Ochoa, que se esticou e nada pôde fazer. Minutos depois, ele também não conseguiu evitar o gol de Enzo Fernández, que teve participação de Messi, autor da assistência.

Esta é a quinta Copa do Mundo de Ochoa, 37. Ele se junta ao zagueiro Rafa Márquez como os mexicanos com mais Mundiais disputados. Até hoje, nenhum atleta conseguiu disputar seis Copas. Porém, o goleiro mexicano tem esse objetivo em mente.

Em entrevista À revista GQ do México, na edição de outubro, Ochoa disse que está bem fisicamente e com desejo de continuar jogando e, quem sabe, estar ainda na seleção no Mundial de 2026, que será disputado em México, Estados Unidos e Canadá.

"Pela idade e desejos, há chances de chegar à Copa do Mundo de 2026, já que vejo anos de futebol na minha vida. Se a comissão técnica acreditar que posso contribuir e somar, pode ser algo único na história do futebol e quero vivenciar isso. Eu amo a Copa do Mundo, eu amo", disse o goleiro, na entrevista.

O primeiro Mundial de Ochoa foi em 2006, com 21 anos. Depois, foi chamado para o Mundial de 2010. Nas duas ocasiões, esteve como reserva. A titularidade veio em 2014, e mantida em 2018 e agora em 2022. Com o jogo deste sábado, contra a Argentina, são dez em Copas do Mundo, com 12 gols sofridos.