Depoimento de Lula pode adiar jogo da Copa do Brasil em Curitiba

NAPOLEÃO DE ALMEIDA E VICTOR MARTINS

CURITIBA, PR, E BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Paraná e Atlético-MG devem se enfrentar pelas oitavas de final da Copa do Brasil no dia 10 de maio, em Curitiba, mas a data poderá ser alterada. No mesmo dia, na capital paranaense, está marcado o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato.

O depoimento está marcado para às 14h e deve parar Curitiba. A expectativa da PM local é de que muitas manifestações vão ocorrer durante o dia, seja a favor ou contra o ex-presidente Lula. Portanto, a Polícia do Paraná solicitou o adiamento da partida que deveria ocorrer às 21h45. A CBF e as televisões responsáveis pela transmissão do torneio já estão cientes do pedido.

Outro motivo que explica o pedido da Polícia Militar é a proximidade do prédio da Justiça Federal, em Curitiba, e o Estádio Durival de Brito. A distância é de aproximadamente cinco quilômetros.

Caso a solicitação não seja atendida e o jogo continue na mesma data, a Polícia garante haver segurança para a realização da partida. A informação foi passada à reportagem pela assessoria de imprensa da PM.

Mudar a data do confronto não é uma questão simples para a CBF, já que as duas equipes estão com o calendário cheio. Para não prejudicar o andamento da Copa do Brasil, que tem o início das quartas de final marcado para 28 de junho, a entidade terá de alterar pelo menos mais um jogo.

O Atlético está na Copa Libertadores e em breve vai disputar o Campeonato Brasileiro. A única data livre da equipe alvinegra antes do início das quartas de final é no dia 31 de maio. Um dia antes, o Paraná terá um jogo pela Série B, contra o Goiás.

Uma opção seria adiar as oitavas para a quinta-feira, no dia 11 de maio. Porém, a CBF teria de mudar também a data de estreia do clube mineiro no Campeonato Brasileiro, que está marcada para o dia 13, às 16h, contra o Flamengo, no Rio de Janeiro. A entidade prevê um período mínimo de 60 horas entre duas partidas de um mesmo time.