Em depoimento à PF, Augusto Heleno afirma que é "natural" que Bolsonaro opte por Ramagem

Yahoo Notícias
No depoimento, Heleno minimiza a ligação entre Bolsonaro e Ramagem afirmando que existia apenas "uma relação que não extrapola os limites de uma vinculação profissional entre chefe e subordinado". C (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
No depoimento, Heleno minimiza a ligação entre Bolsonaro e Ramagem afirmando que existia apenas "uma relação que não extrapola os limites de uma vinculação profissional entre chefe e subordinado". C (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), confirmou nesta terça-feira em depoimento que Alexandre Ramagem, diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), se reúne “corriqueiramente”com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A transcrição do depoimento informa que Bolsonaro mencionou “proteger familiares e amigos” ao se referir ao superintendente do Rio de Janeiro na reunião ministerial de 22 de abril. A procuradoria então questiona quem seriam esses familiares e amigos e Heleno revela que precisaria ver o vídeo para responder ao questionamento.

Leia também

No depoimento, Heleno minimiza o laço entre Bolsonaro e Ramagem, afirmando que existia apenas "uma relação que não extrapola os limites de uma vinculação profissional entre chefe e subordinado". Contudo, momentos após, revela que a amizade entre eles "vem da época em que o presidente sofreu o atentado, e Alexandre Ramagem assumiu sua segurança".

Ramagem havia sido o nome escolhido por Bolsonaro para comandar a Polícia Federal no lugar de Maurício Valeixo, diretor indicado pelo ex-ministro Sergio Moro. Contudo, a indicação foi barrada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que entendeu haver "desvio de finalidade" pela proximidade com a família do presidente. 

O ministro afirma que, como Ramagem realizou a segurança de Bolsonaro, é “natural que haja proximidade tanto com o presidente como seus filhos”. E sobre a indicação do delegado para comandar a PF, Heleno defendeu que também “é natural" que o presidente queira "optar por uma pessoa mais próxima".

O VÍDEO DA REUNIÃO

No vídeo da reunião ministerial, o presidente da República defendeu trocas no comando da PF no Rio de Janeiro para evitar que familiares e amigos fossem prejudicados por investigações realizadas pelo órgão no estado.

Bolsonaro afirma durante a reunião que precisava "saber das coisas" que estavam ocorrendo na Polícia Federal do Rio e cita que investigações em andamento não poderiam "prejudicar a minha família" nem "meus amigos". Sob esses argumentos, o presidente afirma que trocaria o superintendente do Rio, o diretor-geral da PF ou até mesmo o ministro da Justiça, para garantir ter acesso a informações e que pessoas próximas não seriam prejudicadas.

Na avaliação de investigadores, o presidente confirmou expressamente que trocaria postos-chave da Polícia Federal em troca de indicar uma pessoa de sua confiança que garantisse acesso a informações sobre investigações contra familiares e pessoas próximas.

Ainda no mesmo vídeo, Bolsonaro faz diversas críticas e reclamações direcionadas a Moro, afirmando que ele não defendia o governo nos momentos de derrotas jurídicas e pedindo mais engajamento.

O vídeo foi exibido pela primeira vez nesta terça (12), no Instituto Nacional de Criminalística (INC), sede da perícia da Polícia Federal, em Brasília. Estavam presentes Moro e seus advogados, policiais federais, uma equipe da Procuradoria-Geral da República (PGR) e membros da Advocacia-Geral da União (AGU).

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, pediu que a perícia da PF faça a transcrição do vídeo da reunião antes de decidir se irá divulgar ou não o conteúdo.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também