Dentil/Praia Clube e Brasília fazem jogo decisivo pela Superliga

Partida deste sábado definirá qual das equipes seguirá para as semifinais da competição feminina

Apenas uma série das quartas de final da Superliga feminina precisou do terceiro jogo. A partida que definirá qual equipe, Dentil/Praia Clube (MG) ou Terracapa/Brasília/Vôlei (DF), seguirá para as semifinais da competição ocorre neste sábado, às 19h. Por ter tido melhor campanha na fase classificatória, a equipe mineira terá a vantagem de jogar pela segunda vez em casa, no ginásio do Praia em Uberlândia (MG), no confronto que terá transmissão ao vivo do SporTV.

Os outros três semifinalistas da Superliga feminino já estão definidos: Rexona-Sesc (RJ), que passou pelo Pinheiros (SP); Vôlei Nestlé (SP), que venceu a série contra o Fluminense (RJ); e Camponesa/Minas (MG), que venceu os dois primeiros jogos contra o Genter Vôlei Bauru (SP). O time que sair vitorioso neste sábado enfrentará a equipe da Nestlé. A outra semifinal será entre os grupos carioca e mineiro.

Até agora, venceu o time que jogou em casa. No primeiro confronto, em Uberlândia, o Praia venceu por 3 sets a 1 (20/25, 25/19, 25/20 e 25/15). No segundo jogo, em Brasília, a equipe da casa levou a melhor por 3 sets a 0 (27/25, 25/18 e 25/19). Para este próximo duelo, as jogadoras do Dentil/Praia Clube esperam tirar proveito do fator casa. É o que afirma a levantadora Claudinha.

- Agora só depende de nós mesmas. Terça foi um jogo onde não jogamos bem, todas nós, mas independentemente disso, agora é esquecer aquele jogo e partir para cima delas, colocar o nosso ritmo. Temos que estar atentas aos erros bobos que aconteceram. A equipe não conseguiu colocar o ritmo forte, elas também defenderam demais e nós não conseguimos defender como no primeiro jogo. Precisamos sacar bem e mostrar a nossa força dentro de casa. É um jogo de decisão e com mais união ainda, nós vamos conseguir essa vitória.

Já o grupo do Terracap/BRB/Brasília quer desfazer a histórica traçada nessas quartas de final e conseguir a vitória, e a classificação, na casa do adversário. Para isso, a oposto do time candango, Andréia, garante que todas as jogadoras já sabem o que é preciso ser feito.

- A mudança vem no espírito. Estamos em uma reta final de campeonato, onde as equipes já se conhecem. Sabemos o que temos que fazer, então tentamos colocar dentro de quadra uma garra diferente e é isso que vamos tentar manter no próximo jogo. Conseguimos anular algumas jogadas delas, as melhores jogadoras, embora a Walewska tenha pontuado bastante ainda. É uma jogadora que ainda temos que tentar parar. A tônica do jogo é toda em cima disso, tentar anular o que elas têm de bom e usar o que temos de melhor.









E MAIS: