Denúncia de descumprimento da lei por parte de jogadores argentinos foi feita 40 horas antes do jogo

·1 minuto de leitura


Segundo relatório obtido pelo UOL, a primeira denúncia sobre os quatro jogadores da Seleção Argentina que descumpriram a portaria nº 655 chegou ao Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde ainda na noite desta sexta-feira.

Veja a tabela das Eliminatórias

A denúncia informa que os jogadores que chegaram no Brasil ao deixar o Reino Unido desembarcaram no mesmo dia, o que é proibido pela lei criada para impedir o avanço da chegada do coronavírus.

Fernando Ariel Batista, treinador das seleções de base da AFA, foi a pessoa que preencheu todas as declarações, o que também foi informado no relatório que denuncia os jogadores argentinos.

- Destaca-se que representantes da Anvisa salientaram que o descumprimento da normativa sanitária pela seleção argentina e reincidente, e que o auto de infração seria conduzido pela Anvisa do aeroporto e a polícia federal seria comunicada - diz o documento.

O goleiro Emiliano Martínez, o zagueiro Cristian Romero, o volante Lo Celso e o meia Emiliano Buendía não deveriam deixar o hotel até que o pedido de circulação fosse aprovado pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Casa Civil.

A Anvisa também informa que a delegação argentina deveria ficar no hotel até que os órgãos competentes na ocasião, como a própria, o Ministério da Saúde e o Ministério da Casa Civil pudessem emitir um posicionamento final sobre o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos