"Democracia no Brasil está segura", diz presidente do STF

Toffoli quer pacto sobre reformas previdenciária, tributária e fiscal
Toffoli quer pacto sobre reformas previdenciária, tributária e fiscal

Presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Dias Toffoli disse acreditar na solidez da democracia brasileira, porém reforçou que os cidadãos devem continuar lutando em sua defesa.

“Estou convicto de que a democracia do Brasil está segura. Mas ela tem que ser permanentemente defendida pela sociedade”, afirmou Toffoli durante live sobre o papel do STF na crise, neste sábado (20).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Após pedido de Toffoli, a Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu investigações para apurar a autoria do ataque com fogos de artifício ao prédio do STF, na noite de 13 de junho, em Brasília.

Leia também

A ação ocorreu após um acampamento de apoiadores ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter sido desmontado na região da Esplanada dos Ministérios por orientação do governo do Distrito Federal.

Participaram da transmissão ao vivo o ex-ministro Nelson Jobim e o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Toffoli e Jobim debateram sobre o artigo 142 da Constituição Federal, usado por bolsonaristas radicais para defender a intervenção militar com as Forças Armadas como um “poder moderador”.

Jobim, que participou da Assembleia Constituinte, disse que as Forças Armadas foram um poder "moderador" de 1891 até a ditadura militar, mas a Constituição de 1988 as classificou como "instituição" e não "poder", justamente para evitar um novo golpe militar.

Leia também