Dembelé se assusta ao saber de derrota da Alemanha

Dembelé não havia sido informado do placar entre Alemanha e Japão e ficou surpreso com a notícia.
Dembelé não havia sido informado do placar entre Alemanha e Japão e ficou surpreso com a notícia. Foto: (FRANCK FIFE/AFP via Getty Images)

Destaque do Barcelona e da Seleção da França, o ponta Ousmane Dembelé protagonizou uma cena engraçada na coletiva de imprensa nesta quarta-feira quando demonstrou espanto ao ser informado da derrota da Alemanha para o Japão.

Quando questionado sobre a dificuldade das grandes seleções na primeira rodada da fase de grupos, Dembelé levou um susto: "Hein!? Uau!". A França, que goleou a Austrália por 4 a 1, já se colocou como postulante ao título, apesar das lesões que cortaram grandes craques da sua seleção, como Karim Benzema, N'Golo Kanté e Paul Pogba, além de Lucas Hernandez, que se lesionou na partida de estreia e foi cortado do Mundial.

Leia também:

Jornalista do Catar ironiza protesto da Alemanha

Com quase 400 mil seguidores em seu perfil oficial no Twitter, o jornalista Mohammed Alkaabi, personalidade influente no Catar, tirou onda com o protesto feito pela Alemanha após a derrota para o Japão. Na rede social, ele escreveu: "Isso é o que acontece quando você não foca no futebol". O protesto foi feito por causa da proibição da FIFA ao uso da braçadeira One Love para diversas seleções da Europa.

Em outra oportunidade, Alkaabi também cutucou os alemães: quando Philipp Lahm, ex-jogador alemão, disse que não iria ao Catar por conta de questões relacionadas aos direitos humanos, o catari questionou: "Quem falou para você vir?".

Alemanha perde patrocínio após polêmica de braçadeira

A Federação Alemã de Futebol perdeu o patrocínio de uma rede de supermercados da Alemanha, mas a razão não é negativa. De acordo com Lionel Souque, CEO da Rewe, em entrevista ao jornal alemão Bild, a intenção da rede é de distanciar a sua imagem da FIFA e de Gianni Infantino, seu mandatário: "Nós defendemos a diversidade - e o futebol também é diversidade. A posição escandalosa da Fifa é absolutamente inaceitável para mim como CEO de uma empresa diversa e como fã de futebol". Em outubro, a Rewe já havia informado à Federação Alemã que não pretendia renovar o contrato de patrocínio, mas, à época, a razão não era a das braçadeiras de capitão.