Deiveson promete nocautear Benavidez: "Quero ganhar o cinturão com sobras, bonito"

Com seis vitórias e apenas uma derrota no Ultimate, Deiveson Figueiredo construiu sua trajetória na organização em busca de uma oportunidade pelo cinturão peso-mosca (57 kg). E essa chance finalmente chegou. No dia 29 de fevereiro, o brasileiro encara Joseph Benavidez, pelo título da categoria, no UFC Norfolk. No que depender da confiança do atleta tupiniquim, o Brasil voltará a ter um campeão masculino na franquia.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o peso-mosca admitiu o espanto por ter a chance pelo título linear logo nesse seu próximo compromissos. De acordo com ele, a expectativa é que esse duelo contra Benavidez fosse pelo cinturão interino. No entanto, após o campeão Henry Cejudo ser destronado, o ‘Deus da Guerra’ teve essa oportunidade. E sua intenção é chegar ao posto mais alto da divisão em grande estilo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Ele (Benavidez) é um cara rodado. Tenho certeza que está um pouco gasto, um cara que já teve duas vezes lutando pelo cinturão e não conseguiu (perdeu ambas para Demetrious Johnson). Estou chegando com força total. Todos que colocaram para mim eu ‘papei’ e tenho certeza que com o Benavidez não será diferente. É um cara que não oferece muito perigo para mim, apesar de ser experiente. Conheço o jogo dele e estou trabalhando em cima disso. Ele não vai querer trocar comigo e vai buscar usar o wrestling. Vou estar apto para defender as quedas e conectar duros golpes. Objetivo é nocautear esse cara, quero ganhar o cinturão com sobras, bonito”, adiantou.

Desde 2017 no Ultimate, Deiveson vai fazer sua primeira luta de cinco rounds. Ciente da diferença, o paraense sabe que pode se precipitar para não ter o risco de perder o gás. Mas isso não vai impedi-lo de manter seu estilo de atuar.

“Tenho que ser mais cauteloso, por ser uma luta de cinco rounds, mas não vou deixar de ser agressivo. Vou lutar como sempre lutei. Ele está esperando isso de mim, que eu seja agressivo mesmo. Então vou ser um pouco mais cauteloso, por ser uma disputa de cinturão, mas sempre com objetivo de nocautear. Vou dosar o gás nos primeiros rounds, mas nos últimos vou partir para cima”, adiantou o brasileiro.

Atualmente o Brasil só possui uma atleta campeã do Ultimate, com Amanda Nunes com os títulos do peso-galo (61 kg) e peso-pena (66 kg). A última vez que o país teve um lutador com cinturão foi em 2017, com José Aldo. Caso vença Benavidez, Deiveson espera alcançar um outro patamar de popularidade.

“Ganhando esse cinturão vai me dar mais um reconhecimento, uma moral entre os fãs. Vai dar mais uma moral para o pessoal do 57 kg. Espero que a galera me siga nas redes sociais, dê um valor a mais ao meu trabalho. Espero que me dê mais visibilidade, patrocínio”, completou o número três do ranking dos moscas.

No Ultimate, Deiveson Figueiredo soma seis triunfos e apenas um revés, que aconteceu para Jussier ‘Formiga. O brasileiro vem de duas vitórias seguidas, contra Alexandre Pantoja e Tim Elliott, essa última por finalização, em embate que aconteceu em outubro deste ano.

Leia também