COI desclassifica russa bronze em Pequim por doping

Moscou, 24 abr (EFE).- O Comitê Olímpico Internacional (COI) desclassificou nesta segunda-feira a atleta russa Tatyana Chernova, medalhista de bronze no heptatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, por consumo da substância proibida turinabol.

Chernova, que também conquistou o bronze no pentatlo nos Mundiais de Doha 2010, foi sancionada após a revisão com novas tecnologias da análise realizada na capital chinesa. A russa, de 29 anos, precisará devolver a medalha.

O COI também desclassificou o velocista russo Maksim Dyldin, que ficou em quinto lugar na final do revezamento 4x400 metros nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Dyldin, também de 29 anos, deu positivo por turinabol, o anabolizante utilizado sistematicamente pelos atletas da antiga República Democrática Alemã (RDA) como parte de um programa estatal de dopagem.

A Federação Russa de Atletismo anunciou que cinco atletas, entre eles dois medalhistas nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, confessaram ter consumido turinabol.

Esses atletas são Antonina Krivoshapka, prata em Londres no revezamento 4x400 metros; e Yevgeniya Kolodko, também prata no arremesso de peso na capital inglesa.

O atual vice-primeiro ministro e ex-ministro de Esportes russo, Vitaly Mutko, admitiu que "muitos técnicos, lamentavelmente, e os próprios atletas estão convencidos de que sem dopagem não podem ganhar".

A confissão dos cinco atletas ocorreu depois que o presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), Sebastian Coe, se disse decepcionado pela falta de progressos no atletismo russo na luta contra o doping.

A Rússia anunciou que duplicará os exames antidoping neste ano, após o último relatório McLaren ter calculado em mais de mil os atletas russos envolvidos no programa de dopagem de Estado entre 2011 e 2015. EFE