Decisivo na vitória do São Paulo, Luan fala sobre recuperação e relacionamento com Rogério Ceni


Luan foi o grande salvador da vitória do São Paulo por 2 a 1 contra o Atlético-GO, nesta quinta-feira (27), no estádio de Morumbi pelo Campeonato Brasileiro. Isso porque o jogador foi o responsável pelo gol do desempate do Tricolor aos 49 minutos do segundo tempo.

ATUAÇÕES: Felipe Alves brilha, e Luan faz o gol salvador em vitória do São Paulo

Veja tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

Com o resultado, o São Paulo chegou na sétima colocação da tabela da competição, com 50 pontos, e se aproxima ainda mais da tão sonhada vaga na Copa Libertadores.

Luan se recuperou de uma grave lesão que o afastou dos gramados por quase metade da temporada.

Em outubro do ano passado, quando Rogério Ceni havia acabado de assumir o posto de treinador e se preparava para ministrar seu primeiro treinamento, o volante foi diagnosticado com uma avulsão tendínea no músculo adutor da coxa esquerda. A lesão é rara e, explicada em poucas palavras, é quando o músculo se desloca do osso.

O longo tratamento durou cerca de seis meses, mas na época não precisou recorrer a procedimentos cirúrgicos. Luan voltou a ganhar alguns minutos nos primeiros jogos da Copa Sul-Americana. Sua estreia no Campeonato Brasileiro aconteceu somente na décima rodada, contra o Coritiba no Couto Pereira. Contra o América-MG em junho, pelo Campeonato Brasileiro, voltou a sentir dores e deixou a partida de maca. Novamente foi constatado o mesmo problema. Desta vez não houve saída. O encaminhamento do departamento médico do clube foi cirúrgico.

Luan voltou a atuar pelo Tricolor somente no final de setembro. Após a vitória contra o Atlético-GO, o jogador falou sobre a sua recuperação e sobre o gol decisivo, destacando a meta de classificar a equipe para a Copa Libertadores.

- Momento do gol passa um filme. Todo o ano que passei, me entregando, tive que passar por cirurgia, acabei voltando agora, para ajudar o São Paulo com a vitória e se Deus quiser, ajudar a gente a ir para Libertadores - disse.

O jogador ainda detalhou o período em que esteve lesionado. Ainda com poucos minutos nesta temporada, luta para recuperar seu espaço na equipe de Rogério Ceni.

- Acho que nenhum jogador quer se machucar, venho me preparado tanto fora quanto dentro do clube. Tive uma lesão que é muito grave, tem coisas que não tem como controlar. Aprendi muito, hoje tenho bem mais experiência - disse.

- Acho que eu vinha trabalhando no dia a dia, esperando ter mais oportunidade. Aquele gol me ajudou, eu estava preparado. O gol acaba coroando, agora é tranquilidade, pé no chão, continuar trabalhando e esperar uma nova oportunidade - completou.

Nesta quinta-feira (27), Luan atuou por onze minutos. Nesta temporada, como um todo, foram doze jogos e 431 minutos em campo. O jogador também falou sobre o desejo de recuperar a titularidade e sobre seu relacionamento com Rogério Ceni, destacando que enxerga o treinador como um 'ídolo' e que confia em seu trabalho.

- O jogador quer jogar os 90 minutos. Ano passado joguei a maioria dos jogos, mas tem que ter paciência, tranquilidade, fazer o trabalho no dia a dia. Tem que estar preparado para ajudar o São Paulo - disse.

- Minha relação é boa. No primeiro treino do Rogério eu machuquei, acabei não tendo uma sequência boa fisicamente, chego no fim da temporada melhor. Como jogador, é um dos nossos ídolos, e como treinador, ele tenta passar um trabalho da melhor forma e eu procuro ajudar - completou.