Deborah Secco sobre ataques: "Me odeiam porque sou uma mulher livre"

Amanda Caroline
·2 minuto de leitura

Deborah Secco relembrou uma vida inteira de ataques em entrevista ao ‘Sterblitch Não Tem Um Talk Show: O Talk Show’. A atriz, que começou na televisão quando ainda era criança, diz que sempre foi muito criticada por causa de seus relacionamentos e por ser independente.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

A global, que é protagonista de ‘Salve-se Quem Puder’, novela das 19h que foi interrompida devido à pandemia, conta que sofreu muito com os “haters” no início da carreira. “A gente tinha uma imprensa muito cruel que seguia muito a gente. Estava na minha fase adolescente, vivendo uma fase namoradeira, me apaixonava perdidamente. Eu sou uma pessoa muito intensa. (...) Era jovem e não tinha nenhum preparo psicológico para esse tipo de crítica”, declara.

Leia também

Ela garante que ainda é alvo de comentários negativos porém eles não a afetam mais. “Foram tantos anos apanhando... Tantos anos com gente te batendo, criticando, apontando... Não tenho mais tempo para ficar triste. Hoje em dia passam por mim, de verdade, sem dor. O que para algumas pessoas é novo, estou há 30 anos ouvindo”, diz a ruiva.

Deborah Secco: atriz, mãe e mulher empoderada (Foto: Reprodução/Instagram @dedesecco)
Deborah Secco: atriz, mãe e mulher empoderada (Foto: Reprodução/Instagram @dedesecco)

A artista, mãe de Maria Flor, de 5 anos, revela que toda sua família se abalou com as críticas sobre ela. Hoje, o cenário é diferente. “Eu olho para a minha filha, para a minha família, para minha casa, para a nossa vida real... E é tudo tão maior que não dá mais para sofrer. Temos coisas mais urgentes para fazer”, dispara.

Feminismo e sexo

A atriz não tem papas na língua e é defensora ferrenha dos direitos da mulher. Deborah, que gosta de falar empoderamento feminino e sexo, acredita que o machismo é o motivo pelo qual ela ainda é atacada.

“Me odeiam porque eu sou uma mulher livre, uma mulher independente. As pessoas acham que não tem que fazer uma foto assim, que não tem por que falar de sexo, não tem para que se posicionar quanto a isso ou quanto àquilo.”

A intérprete da garota de programa Bruna Surfistinha no cinema ainda afirma que a popularidade e personagens sensuais a distanciaram da artista que ela é. “Perdi a imagem de ‘cult’. Virei uma pessoa muito popular e isso me prejudicou, talvez, profissionalmente. Porque as pessoas são muito preconceituosas. Fazer mulheres sensuais e bonitas também me distanciou um pouco da atriz que eu sou”, finaliza.