Danilo explica postura defensiva do Brasil e fala sobre parceria com Alex Sandro: 'Entendimento grande'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Após a vitória por 1 a 0 do Brasil sobre a Colômbia, o técnico Tite comentou sobre a postura dos laterais brasileiros, Danilo e Alex Sandro, que atuam juntos na Juventus para uma melhora de postura da equipe na etapa final.

O movimento utilizado pelo treinador da Seleção, que exaltou os seus companheiros de comissão técnica para a ação, foi comparado por Danilo com estratégias do técnico espanhol Pep Guardiola, com que o lateral trabalhou no Manchester City.

- É muito legal o que o Tite falou. Porque, por exemplo, o Manchester City é um time que joga muitas vezes no 3-2-5, onde você vê laterais que jogam por dentro, alguns jogam por fora, alguns fazem o terceiro zagueiro. E isso é muito valorizado. E também é exatamente o que a gente fez no segundo tempo (contra a Colômbia) - comentou o atleta.

- O Alex (Sandro) fazia o terceiro zagueiro, eu me transformei num meio-campista com o Casemiro, o Paquetá era meia-direita, Neymar meia-esquerda, Raphinha e Vini abertos e o Gabriel como camisa 9. É exatamente a postura do Manchester City do Guardiola faz. Essa leitura é bacana de se fazer, porque aqui dentro também tem um trabalho de muita qualidade e coragem - completou.

Ainda que tenha, como lateral, atuado defensivamente na maior parte do tempo, Danilo rechaça o rótulo de defensiva para a Seleção Brasileira e destacou o trabalho sem bola dos atletas que atuam do meio-campo para trás.

- É uma coisa muito importante no futebol e aqui na Seleção Brasileira, principalmente com o trabalho do Tite, se equipara às grandes ligas do mundo, que é o trabalho sem bola. Os jogadores que não estão envolvidos no momento de ataque têm um trabalho muito importante de pensar o que fazer caso a gente perca a bola. Essa é a mentalidade de jogador grande, de comissão técnica grande, que a gente tem na Seleção Brasileira - explicou Danilo.


- A gente trabalha isso incansavelmente para sempre aprimorar, e faz muita diferença no momento defensivo. Se perdermos a bola no ataque, não sofreremos um contra-ataque perigoso. No momento seguinte, já estamos preparados para roubar a bola o quanto antes. São muitos fundamentos que representam essa solidez defensiva, que muitas vezes é quando temos a bola, se preocupar com o momento seguinte. Jogar sem bola - acrescentou.

Alex Sandro

A parceria entre Danilo e Alex Sandro vai além de Seleção Brasileira. A dupla trabalhou junto no Santos, entre 2010 e 2011, quando, na mesma janela de transferências, foram negociados com o Porto-POR, em 2019, depois do lateral-direito passar por Real Madrid-ESP e Manchester City-ENG, eles tiveram a oportunidade de se reencontrar na Juventus-ITA.

- Meu entendimento com o Alex (Sandro) é muito grande. Costumo brincar que tô cansado dele. A gente se conhece há muitos anos. Fazer os movimentos de forma simultânea é muito importante para uma equipe que quer jogar dessa forma, então foi muito bacana a gente conseguir replicar um pouco daquilo que fazemos na Juventus, principalmente no ano passado, que jogávamos um pouco diferente na Seleção. Tivemos um resultado legal, a equipe jogou de uma forma mais fluída e isso foi demonstrado em números e resultado - afirmou Danilo.

A Seleção Brasileira faz o seu último jogo em 2021 na próxima terça-feira (16), às 20h30, em San Juan, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Nesta segunda-feira (15), a delegação brasileira fará a sua última atividade no Brasil, no Centro de Treinamentos do Palmeiras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos