Danilo Barcelos defende o trabalho de Marcão e acredita na reação do Fluminense no Brasileirão

LANCE!
·2 minuto de leitura


Com uma campanha surpreendente no Brasileirão, o Fluminense briga por uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Contudo, após a saída do técnico Odair Hellmann, o time ainda não venceu sob o comando de Marcão. Foram duas partidas contra times da parte de baixo da tabela (Vasco e Atlético-GO) e apenas um ponto conquistado.

+Confira e simule a classificação do Campeonato Brasileiro

Em entrevista coletiva, o lateral-esquerdo Danilo Barcelos defendeu o trabalho do treinador e disse que a equipe irá reagir nas próximas rodadas. No sábado, o Tricolor irá receber, no Maracanã, o líder do campeonato: o São Paulo, de Fernando Diniz, às 21h (de Brasília).

– Muito complicado, né? Uma troca de comando sempre vai ter alguns percalços. É apenas um início de trabalho. Falar que eu concordo com críticas, eu não concordo. É muito cedo ainda, e o trabalho do Marcão é muito bom. Ele tem o grupo todo na mão, como tinha também o professor Odair. A gente está se enquadrando ao estilo de jogo dele, que não muda muito do Odair. E eu tenho certeza que a gente vai encontrar uma forma. Foram apenas dois jogos. Claro que o torcedor está ansioso, porque a gente faz uma boa campanha e não pode perder pontos como a gente perdeu nas últimas duas partidas - disse.

- Eu falo em nome de todo o grupo: a gente está super confiante no professor Marcão e feliz com o que a gente vem realizando. Tenho certeza que as coisas vão melhorar - completou.

Com 40 pontos, na sétima colocação, a equipe tenta reencontrar o caminho das vitórias e não deixar o pelotão da frente disparar. Diante disso, Danilo analisou a atuação da equipe na derrota para o Atlético-GO e afirmou que o Fluminense fez um jogo muito abaixo do que vinha apresentando na competição.

– A gente fez um jogo muito abaixo (Contra o Atlético-GO). Difícil de negar isso. Erramos muitas coisas que não erramos. Mas não fizemos diferente do que a gente faz nos outros jogos. Tentamos sair jogando, tentamos impor nosso ritmo, porém, tiveram vários outros fatores que não foram favoráveis no jogo contra o Atlético. Eu fiquei de fora contra o Vasco, e a gente fez as mesmas coisas, só que deram certo no primeiro tempo, deu um pouco certo no segundo. Infelizmente contra o Atlético não deu - analisou.