Danilo 'eleva nível' do Corinthians e retoma rotina depois de oito meses

Gabriel Carneiro

Um dos jogadores mais vencedores e importantes da história do Corinthians está próximo de voltar à equipe após oito meses em tratamento de uma grave lesão, em que quebrou dois ossos da perna direita e correu até mesmo risco de amputação do membro. Aos 37 anos, o meia Danilo realizou nesta sexta-feira seu primeiro treinamento com bola aberto à imprensa, e mostrou boa condição física. Sua última atividade semelhante havia sido em 30 de agosto do ano passado, data da lesão durante um treino fechado comandado por Cristóvão Borges. Antes auxiliar, o técnico Fabio Carille está satisfeito pelo retorno.

- Ele é um atleta de astral muito para cima, nunca desanimou durante a lesão e agora está de volta ao campo. Sem previsão, vamos deixar para ver como ele se sentirá, mas já está integrado ao grupo dentro de campo. Agora é paciência, porque é um jogador importante, que alegra vestiário, eleva nível de treino, mas vamos esperar, saber como ele reage - opina o treinador corintiano.

Danilo está de volta aos treinamentos com bola no gramado, mas não deve estar apto para as partidas tão rapidamente. O jogador tem um desequilíbrio muscular entre as pernas, e esse processo é um efeito da grave lesão de 2016. A tendência é que o experiente meio-campista reveze trabalhos no campo e na academia do CT Joaquim Grava até que a musculatura esteja 100% reabilitada.

Segundo relatos de membros da comissão técnica do Corinthians, Danilo está mostrando muita euforia com o retorno aos gramados, mas é justamente essa empolgação que preocupa os profissionais do clube. Em outras palavras: se pudesse, o meia de 37 anos treinaria forte todo dia até conseguir voltar, mas uma carga muito alta pode atrapalhar o processo gradativo de retorno aos gramados e gerar novas lesões. O Corinthians trata a volta dele com calma.

Nesta sexta-feira, por exemplo, o jogador participou de um treino específico de troca de passes, mas com menos intensidade que os companheiros. Quando os jogadores participaram de um trabalho técnico, o meia foi poupado e fez complemento no gramado. No sábado, a ideia é que ele fique na academia.







E MAIS: