Daniel Alves: "O futebol deixou de ser uma competição humana. Virou negócio"

Após longo imbróglio, lateral entra em acordo italianos e já prepara escolha de novo clube; Citizens estão em vantagem

Após servir a seleção brasileira nas Eliminatórias, Daniel Alves retornou à Turim, e em entrevista à Fifpro, destacou que  o "futebol deixou de ser uma competição humana, de que as pessoas cuidavam dos jogadores".

"As pessoas que trabalham no futebol, no geral, não cuidam tanto do jogo em si tanto quanto cuidam do dinheiro que elas podem ganhar com ele. Acho que o futebol deixou de ser uma competição humana, de que as pessoas cuidavam dos jogadores. Passou a ser um negócio. Ser dirigido como uma empresa em que invisto e quero a minha recompensa. Como vou conseguir? O jogador vai se sacrificar e eu vou ter meu benefício", afirmou.

"Para chegar a um nível A no futebol, tem que passar pelos outros níveis. Se não tem uma condição, é mais difícil chegar no nível A. Acredito que deveriam globalizar um pouco esse aspecto, o cuidado com o futebol", completou.

Para finalizar, o brasileiro ainda revelou que enfrentou problema com salários atrasados.

VEJA TAMBÉM:
Zico critica CBF e federações | Cartoon do Dia | James melhor com a Colômbia

"Posso falar porque já passei pela situação de trabalhar e não ter a remuneração mensal, pelo fato de que há dificuldade de o clube de não poder remunerar. Mas o trabalhador tem que receber, porque outras pessoas dependem dele. Falo até de amigos do nível A no futebol e alguns não são remunerados, são remunerados com atraso", concluiu.

A Juventus é líder do Campeonato Italiano com 73 pontos. Oito a mais que a vice-líder Roma. No próximo domingo (2), a Velha Senhora vista o Napoli, às 15h45 (horário de Brasília).