Dani Bolina se torna lutadora e encara até Mundial de jiu-jitsu

Dani Bolina resolveu dividir a carreira artística com o Mundial de Jiu-Jitsu. (Instagram/dbolina)

LEANDRO CARNEIRO SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A modelo Dani Bolina ganhou fama como uma integrante do programa Pânico. Mas, anos após se destacar na televisão, ela vive uma nova fase na vida. Apesar de não ter abandonado os trabalhos artísticos, agora ela tem uma carreira como atleta. Mais precisamente, lutadora de jiu-jitsu.

Namorada de Leandro Lo, um dos principais lutadores de jiu-jitsu do Brasil, Dani Bolina passou a treinar a modalidade há dois anos com Márcio Catenacci. Mas, o que era apenas uma maneira de se manter em forma e acalmar os pensamentos virou coisa séria no começo deste mês. A modelo encarou o primeiro Mundial de sua carreira.

“Nunca tinha pensado (em disputar campeonatos). Sempre questionavam e eu falava ‘não’. As pessoas falavam que era legal participar, que eu teria uma influência positiva para abrir a cabeça, para as meninas virem treinar. E eu falava não quero. Como acompanhava meu namorado nos campeonatos, falavam que não custava se inscrever e competir. Os primeiros (campeonatos) que fui com ele, foi mais cagaço meu mesmo que não lutei. Mais medo e insegurança. Aí as meninas da academia perguntaram se ia para o mundial. Disse que ia com Leandro. Perguntaram por que não ia competir. Aí me convenceram, me inscrevi e competi””, falou para FolhaPress.

A primeira experiência foi positiva. Dani não ganhou o Mundial, mas venceu duas lutas. Acabou sendo eliminada no terceiro combate. O suficiente para fazê-la sonhar alto.

“Acho que posso chegar onde eu quiser. Tudo vai depender de mim, do meu empenho e esforço. Quando entro em algo, me dedico muito e não meço esforços. Gosto de treinar. Para mim é mais fácil. Quero chegar no auge, quero ganhar um campeonato, ganhar um Mundial. Foi muita coisa chegar até onde cheguei. Ninguém estava acreditando que ia passar da primeira, passei a segunda, foi ‘mara'”, completou.

Ao falar sobre a modalidade, Dani admite que mudou também como pessoa depois que passou a gastar sua energia nos combates. “”O jiu-jitsu muda a sua cabeça. Falo que é divisor de águas. Fiquei mais calma, mais pensativa antes de fazer alguma coisa. Menos precipitada. Jiu-jitsu te deixa mais calma e pensativa para outras coisas no geral. Tenho mais paciência””, revelou.

Apesar de planejar uma carreira vitoriosa como lutadora, Dani Bolina segue normal seus trabalhos como modelo. Aliás, conciliar as duas vidas tem causado “dor de cabeça” para a empresária que cuida de sua carreira. “”Não me preocupo muito não (com machucados). Não tem como treinar e não se arranhar, se rasgar, ficar roxa, quebrar unha. Isso não tem problema. Quase quebrei o nariz esses dias. Quem fica preocupada com isso é minha empresária. Ela se preocupa bastante, me xinga, fica louca quando fico muito machucada. Fala para todo mundo que pode machucar do pescoço para baixo, o rosto não pode. Mas é do esporte””, falou. “

“Pior susto foi quando a menina caiu em cima do meu nariz e ele deu uns estalos. Fui olhar e ele estava torto. Aí me assustei um pouco. Depois a gente podia consertar. De princípio, fiquei assustada e fui no médico. Não tinha luxado nada, só tinha machucado e estava inchado. Por isso estava torto. A outra foi uma amiga que deu uma joelhada no queixo e fiquei com ele roxo. Os outros são só roxinhos e arranhões. É difícil se machucar, porque treina todo dia, você fica úmido e o machucado não cicatriza. Fiquei quase três semanas com machucado na perna, não cicatrizava nunca””, finalizou.