Da técnica à confusão: 7 jogadores que têm 'cara de Libertadores'

Lucas Humberto
·3 minuto de leitura

Poucos campeonatos no mundo têm uma característica tão própria quanto a Libertadores. Chaves específicas, confrontos históricos e, claro, jogadores que nasceram para disputar o torneio continental mais importante da América do Sul. Relembramos alguns desses atletas que estarão presentes nesta edição.

1. Raúl Bobadilla (Fluminense)

Atacante tem experiência no torneio. | Pool/Getty Images
Atacante tem experiência no torneio. | Pool/Getty Images

Os reforços não param de chegar no Fluminense! Mais recentemente, o Tricolor anunciou a contratação de Raúl Bobadilla. O atacante tem a Libertadores em seu DNA, ou seja, a dose de raça necessária é entregue junto às provocações que tornam o espetáculo ainda mais interessante. Aliás, ele já chegou mandando algumas indiretas aos adversários e rivais no torneio.

"River é o único que pode lutar, embora os brasileiros estejam muito bem. Nas últimas quatro edições, O River chegou em duas finais e duas semifinais. Na última, inclusive, esteve a ponto de fazer história no Brasil e eliminar o Palmeiras", disparou à rádio argentina Colônia.

2. Nacho Fernández (Atlético-MG)

Nacho Fernández está no Atlético-MG. | Pool/Getty Images
Nacho Fernández está no Atlético-MG. | Pool/Getty Images

Há duas maneiras de provar que o torneio está no seu sangue: raça ou raciocínio. Nacho Fernández entrega um pouco dos dois, mas sobressai pela segunda opção. O jogador do Galo é 'calejado' na Copa em razão da sua longa passagem pelo River Plate. Conhecido pela inteligência dentro dos gramados e boa estratégia com seus companheiros no ataque, o meio-campista transpira Libertadores.

3. Carlos Izquierdoz (Boca Juniors)

Izquierdoz está no Boca Juniors desde 2018. | Luciano Bisbal/Getty Images
Izquierdoz está no Boca Juniors desde 2018. | Luciano Bisbal/Getty Images

Parece que para fazer sucesso no Boca Juniors você precisa seguir alguns requisitos: seriedade, complexo de liderança e ter um estilo de jogo rústico. Carlos Izquierdoz reúne essas características e, embora não seja tecnicamente primoroso, não compromete muito. Poucos argentinos representam tanto a Libertadores quanto ele.

4. Gabigol (Flamengo)

Gagibol é 'viciado' em levantar taças. | Buda Mendes/Getty Images
Gagibol é 'viciado' em levantar taças. | Buda Mendes/Getty Images

Impossível não inserir Gabigol numa lista com esse assunto. Conhecido pela raça, vontade de vencer e uma boa dose de provocação, o camisa 9 do Flamengo foi eternizado no torneio após garantir o título nos minutos finais contra o River Plate, em 2019.

5. Rafael Borré (River Plate)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Borré pode até ter ficado conhecido no Brasil pelas longas novelas com Palmeiras e Grêmio, mas dentro das quatro linhas ele é um goleador nato e nada tão Libertadores quanto balançar as redes quando necessário. Será que o Fluminense irá conseguir pará-lo?

6. Felipe Melo (Palmeiras)

Felipe Melo em ação pelo Palmeiras. | Bruna Prado/Getty Images
Felipe Melo em ação pelo Palmeiras. | Bruna Prado/Getty Images

Provocativo, brigão, polêmico... os torcedores praticamente esperam alguma polêmica vinda do meio-campista do Palmeiras. Fatores extracampos à parte, Felipe Melo é dono de uma técnica apurada e, quando está bem, consegue imprimir um bom estilo de jogo ao Alviverde.

7. Paolo Guerrero (Internacional)

Guerrero não estará presente na estreia, mas deve retornar aos poucos. | Alvaro Bueno/Photopress/Gazeta Press
Guerrero não estará presente na estreia, mas deve retornar aos poucos. | Alvaro Bueno/Photopress/Gazeta Press

Guerrero tem ampla experiência em competições sul-americanas desse nível e, além de ter voltado aos gramados com fome de bola, não costuma levar desaforo para casa. Ou seja, aos torcedores que gostam de uma pequena confusão amigável dentro das quatro linhas, fiquem de olho no camisa 9 do Internacional.