Da glória ao lamento: Camilo vence, mas rodada na corrida 2 torna situação "difícil"

GABRIEL CURTY, PEDRO HENRIQUE MARUM, FELIPE NORONHA

Com o sistema de rodadas duplas, a Stock Car não permite muito tempo de comemoração aos pilotos que vão bem na primeira corrida do final de semana. Mais do que isso: ainda cria a possibilidade da corrida 2 ser desastrosa a ponto de apagar a felicidade da anterior. 

Foi o que aconteceu com Thiago Camilo neste domingo (10), no Velo Città: com estratégia de pneus perfeita, ele levou a primeira prova, e diminuiu a vantagem para o líderes do campeonato; mas, na segunda, uma rodada fez com que a distância, no fim das contas, aumentasse.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Da glória ao lamento, Camilo comentou ao GRANDE PRÊMIO o que sentiu em Mogi Guaçu: "Primeira corrida foi muito boa em termos de resultado, conseguimos nos adaptar ao clima, colocamos o pneu certo na hora certa, encaixar uma boa estratégia."

"Na corrida 2, o cenário estava muito bom. Completei a primeira volta em 11º e já estava em quinto ou quarto até o pit-stop. Aí vieram alguns momentos chaves, o primeiro deles o fato de que eu tinha 3s de frente para o Daniel [Serra] e ele voltou na minha frente, precisamos entender quanto mais de combustível que ele colocou na corrida 1 e quanto isso beneficiou ele na corrida 2, mas fato é que a corrida 2 começou a desandar ali, se eu tivesse saído na frente teria sido diferente.", seguiu o #21.

Thiago Camilo (Foto: Carsten Horst/Hyset)

Serra, aliás, é o novo líder isolado da temporada - então a briga de Camilo com que era decisiva para sus pretensões. Só que foi exatente nessa disputa que ele rodou e caiu para 19°: "Houve uma série de disputas entre nós dois, todas sempre muito limpas, tanto da minha parte quanto da dele, o Daniel é um cara extremamente limpo, não tem nem o que falar dele na pista, mas em uma das disputas - e eu nem culpo ele, acho que é um carro ruim de visibilidade -, ele tentou uma ultrapassagem frustrada sobre o Diego Nunes com o botão de ultrapassagem, o Diego defendeu bem e eu fui por fora, consegui dar o X nele e já tinha mais de meio carro de frente quando ele começou a vir para a esquerda e jogar o carro em cima de mim."

"Provavelmente ele não viu quão do lado dele eu estava, esse carro é ruim mesmo de visibilidade, às vezes não temos essa noção, mas ele me espremeu, fui parar na zebra, voltei em cima do carro dele e acabei rodando. Acho que aquilo acabou me prejudicando, se ele tivesse total consciência de onde eu estava, não teria vindo tanto para a esquerda, eu teria a preferência na saída da 2 e contornaria na frente dele."

"Mas acabou acontecendo, eu rodei, caí lá para trás, depois ainda tive um problema de freio no final da corrida, meu pedal baixou demais, só estava tentando chegar ao fim mesmo", completou.

Thiago Camilo (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Por fim, fez uma previsão da dificuldade que encontrará para voltar a encostar nos líderes com apenas duas etapas para o fim da emporada.: "Agora, 24 pontos atrás, sabemos que é difícil daqui para frente, mas Goiânia é outra prova em que já fizemos pole, já vencemos, seguimos confiante para lá para tentar descontar pontos e aí fazer uma boa corrida em Interlagos para tentar concretizar o nosso objetivo", concluiu.

A etapa de Goiânia da Stock Car ocorre em duas semanas, com duas corridas no dia 24 de novembro. O GRANDE PRÊMIO cobre in loco


 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.








Leia também