D’Alessandro iguala recorde na Libertadores e mira marca de Ceni

Goal.com
O meia vai completar 84 jogos nesta terça-feira, se a igualando Agustín Orión como argentino que mais atuou na competição
O meia vai completar 84 jogos nesta terça-feira, se a igualando Agustín Orión como argentino que mais atuou na competição

Ao entrar em campo nesta terça-feira, pela Libertadores, D’Alessandro vai se igualar a Agustín Orión como argentino que mais jogou na competição.

O jogo do Inter contra a Universidad de Chile vai marcar a 84º partida dele pela Libertadores, sendo 46 pelo time gaúcho - isolado, o que mais atuou com a camisa colorada na competição. 

Além do Inter, o argentino também disputou Libertadores pelo River Plate (4) e pelo San Lorenzo (1).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

ARGENTINOS QUE MAIS DISPUTARAM JOGOS DA LIBERTADORES

1. Agustín Orión - 84 jogos

2. D’Alessandro - 83 jogos

3. Clemente Rodríguez - 82 jogos

4. Julio César Falcioni - 76 jogos

5. Lucas Pratto - 74 jogo

Além disso, D’Ale vai entrar no TOP 10 jogadores que mais atuaram na Libertadores na história da competição. 

Se o Inter passar da fase preliminar e chegar na fase de grupos, são grandes as chances de o meia ultrapassar o número de jogos de Rogério Ceni na competição. O goleiro são-pualino tem 90 partidas disputadas, ocupando a quinta colocação no ranking.

TOP 10 QUE MAIS DISPUTARAM JOGOS DA LIBERTADORES

1. Ever Hugo Almeida - 113 jogos

2. Antony de Ávila - 94 jogos

3. Vladimir Soria - 93 jogos

4. Willington Ortiz - 92 jogos

5. Rogério Ceni - 90 jogos

6. Pedro Rocha - 88 jogos

7. Aberto Spencer e Carlos Borja - 87 jogos

7. Juan Battaglia - 85 jogos

9. Agustín Orión - 84 jogos

10. Álex Escobar - 83 jogos

Ao todo, o argentino marcou 25 gols na competição. Pelo Internacional, são seis edições disputadas, totalizando 46 jogos e nove gols marcados.

Em entrevista coletiva, o argentino falou sobre a marca que vai alcançar hoje: “É um orgulho para mim, 20 anos de carreira que fiz esse ano. É minha 11ª Libertadores. São seis com o Inter. Quatro com River, uma com San Lorenzo. Fico feliz porque a gente procura deixar legado no futebol. Libertadores é um torneio mais importante aqui que temos no continente. Então para mim é um orgulho”.

Leia também