Cyborg garante estar pronta para Germaine em julho: "Não quero cinturão interino"

Cris Cyborg e Germaine de Randamie já fizeram encarada - Twitter

Inocentada da acusação de doping em janeiro passado, Cris ‘Cyborg’ está de olho no cinturão dos pesos-penas (66 kg) do UFC e já adiantou que quer enfrentar Germaine de Randamie no evento de número 214, que será realizado no dia 29 de julho em Anaheim (EUA). Mas, apesar de fazer questão de deixar claro a rejeição ao cinturão interino, a brasileira admite que pode pegar outra atleta no caso da atual campeã não estiver pronta para subir no octógono.

“Eu ainda não ouvi do UFC se a Germaine estará pronta para lutar em julho. Eu não quero um cinturão interino, mas se ela não estiver saudável, eu estou disposta a enfrentar uma outra lutadora pela chance de lutar em Anaheim”, afirmou Cris ao site ‘BJPenn.com’.

A curitibana aproveitou para explicar mais uma vez o que a afastou dos cages por um tempo – não luta desde setembro do ano passado. Segundo ela, os cortes bruscos de peso que fez para atuar em peso casado (63,5 kg) pelo Ultimate fizeram com que o corpo dela sentisse o esforço. Assim sendo, o seu médico pessoal pediu para que Cris ficasse um tempo longe dos octógonos para voltar a ter uma vida saudável.

“Eu recebi uma ordem do meu médico para deixar o meu corpo se recuperar dos cortes de peso extremos, por isso eu não pude enfrentá-la em janeiro passado em Anaheim. Depois de quatro anos longe da divisão dos penas e na 10ª posição no ranking mundial dos pesos-galos, a Germaine fez o seu retorno aos penas e garantiu a Holly [Holm] sua terceira derrota seguida. Agora que o meu corpo está saudável e forte, eu estou pronta para defender o meu posto de número um do mundo e espero que a desafiante número um aceite o meu desafio no UFC 214”, explicou.

Mesmo sem ter a confirmação, Cris Cyborg já imagina como seria sua luta contra Germaine de Randamie. Elogiando a luta em pé de sua possível futura oponente, a curitibana acredita em um duelo de trocação para poder finalmente levar um bônus da noite no maior evento de MMA do mundo.

“Ela é uma trocadora talentosa. Acho que se ela tivesse sido um pouco mais agressiva ela tinha terminado a luta contra a Holly. Quero mostrar que o meu muay thai melhorou muito desde minha derrota para a Jorina Baars [em uma competição de muay thai] e acho que essa luta é a oportunidade perfeita para isso. Eu ainda não ganhei um bônus de ‘Luta da Noite’ no UFC e penso que ela é uma adversária que pode proporcionar uma daquelas lutas clássicas que os fãs lembrarão por muitos anos”.