Cuiabá aposta em organização administrativa para surpreender na Série A

Futebol Latino
·4 minuto de leitura


Com uma campanha histórica na última temporada, o Cuiabá garantiu a inédita classificação à primeira divisão nacional. É o maior feito de quem está escrevendo seu nome na história do futebol brasileiro de uma maneira diferente da maior dos clubes: desde o início, optou pelo modelo de clube-empresa, estabelecendo metas de responsabilidade financeira e plano para os resultados esportivos.

>Contra quem o Dourado irá estrear no Brasileirão?

- O Cuiabá nasceu como uma empresa, a estrutura de funcionamento é a mesma desde a fundação, com setores responsáveis. Por ser um clube com dono, é muito mais fácil de se administrar. No Brasil, o tema está em alta, vejo muita gente discutindo sobre os clubes associativos, enxergo isso como ultrapassado, o futebol se tornou muito caro, acho questão de tempo para o modelo do nosso clube para a ser comum no país - conta Cristiano Dresch, vice-presidente do Dourado.

Com as estratégias adotadas, o clube se tornou modelo no cenário local, superou equipes tradicionais do Mato Grosso e já conquistou nove títulos estaduais em sua história. Além disso, em âmbito nacional, o Cuiabá é bicampeão da Copa Verde, torneio organizado pela CBF. Na Série C de 2018, o Dourado ficou com o vice-campeonato.

A passagem pela segunda divisão durou apenas duas temporadas. Logo no ano de estreia, o clube fez uma campanha sólida, conquistou 52 pontos e a oitava colocação, sem correr riscos de rebaixamento. A montagem do elenco para o ano seguinte começou mais cedo, mesclando a experiência de atletas mais rodados com jogadores jovens, o Cuiabá fincou raízes na parte de cima da tabela e garantiu a classificação com uma campanha consolidada,

Arena de Copa do Mundo

Um dos motivos da entrada da família Dresch, administradora do clube, foi a confirmação que a capital do Mato Grosso seria uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. Com a expectativa do crescimento exponencial do futebol no estado, os investidores iniciaram a parceria com o clube.

A Arena Pantanal está entre os estádios mais modernos do Brasil. Mesmo sendo um clube jovem, o Cuiabá conquistou o carinho dos torcedores, encheu o estádio em diversas oportunidades e gerou uma renda importante com o local.

- Apesar de ser um clube novo, conquistamos o carinho de muitos torcedores na cidade, lideramos uma pesquisa feita sobre os times mais populares por aqui. Na final da Série C, colocamos mais de 40 mil pessoas na Arena Pantanal. Nas condições normais, garanto que teríamos uma média de torcedores muito alta por jogo, o mato-grossense abraçou o projeto e a estrutura do estádio é um grande aliado - afirma Cristiano.

Importância da economia estadual

A agremiação leva o nome da capital do estado, polo de extrema importância no agronegócio brasileiro. O clube enxerga os bons números da economia local como um aliado na captação de patrocínios. Além disso, o fato de a equipe ser o único mato-grossense a disputar o Brasileirão da Série A desde 1986 ajuda a colocar a região com um dos destaques no esporte nacional.

- O Mato Grosso é um estado muito forte economicamente, tem um PIB que está em crescimento. Com isso, conseguimos receber valores mais elevados de patrocínio na camisa, é uma força muito grande para o nosso orçamento que vai ajudar na temporada do clube. A pandemia nos atingiu, mas conseguimos adequar as contas e sanar todas as pendências da temporada passada - apontou o vice-presidente do Cuiabá.

Expectativa para a Série A

O acesso para a primeira divisão modificou o planejamento do clube para a temporada. Com um orçamento maior, a direção busca no mercado jogadores com rodagem na Série A para formar uma equipe competitiva.

Após passagens por Palmeiras, Vasco e Botafogo, o técnico Alberto Valentim se juntou a equipe cuiabana. Além dele, foram contratados vários atletas com experiencia na primeira divisão, como os ex-Corinthians Walter, Marlon, Jonathan Cafú e Uendel; Paulão (ex-Fortaleza); Pepê (ex-Flamengo); Uillian Correia (ex-Red Bull Bragantino) entre outros que chegaram para reforçar o elenco.

A manutenção por mais uma temporada na elite é o grande objetivo. A direção entende a dificuldade da competição, mas se espelha em clubes que entregaram grandes resultados esportivos com um orçamento curto.

- É o nosso grande desafio, nossa estratégia é montar um time que conheça os caminhos do torneio, rodagem por outros clubes e que entendam o tamanho da Série A. O nosso plano é fazer uma boa campanha e permanecer na elite, se isso se concretizar, será o maior feito da história do Cuiabá - reforça Cristiano.