Cuca mostra esperança para convencer Veríssimo a voltar a jogar pelo Santos

Fábio Lázaro*
·3 minuto de leitura


Cuca não se deu por vencido no “caso Lucas Veríssimo”. Envolvido em uma negociação cheio de entraves com o Benfica (POR) e desejando atuar no futebol europeu, o zagueiro foi preservado da derrota por 1 a 0 contra o Vasco da Gama, neste domingo (20), pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, pois pediu pra não jogar enquanto a situação não for resolvida. Contudo, o treinador do Santos ainda tentará convencer o defensor a entrar em campo nas próximas partidas.

– Ele está num imbróglio com o clube. Na minha função, tento fazer o melhor para o Santos, que é ter o jogador em condição. Não me rendo, não me entreguei. Ainda tento buscar uma solução – disse Cuca em entrevista coletiva após a derrota para o Vasco.

>> Veja aqui a tabela e simulador do Brasileirão

Os Encarados fez uma proposta inicial de 6,5 milhões de euros (R$ XX mi), com pagamento em cinco parcelas, iniciando em 2022 e terminando em 2026. O Peixe, no entanto, conseguiria a antecipação do dinheiro através de uma instituição financeira belga. Porém, o Conselho Fiscal santista vetou a operação, que havia sido aprovada pela diretoria. A partir de janeiro, quando inicia a nova administração do Alvinegro, o presidente eleito, Andrés Rueda, passará a ter a autonomia na condução do negócio. Ele já tem conversado com o clube português.

Não foi a primeira vez que Veríssimo pede para não entrar em campo, por conta da indefinição referente a proposta. Antes do jogo de ida pelas quartas de final da Libertadores, no dia 02 de dezembro, onde o Peixe empatou em 1 a 1 contra o Grêmio, em Porto Alegre, ele já havia pedido para não atuar, pois não se via preparado psicologicamente, porém teve a decisão mudada pelo técnico Cuca, que o convenceu a entrar em campo. Dessa vez, a posição do defensor foi irredutível e ele nem viajou para o Rio de Janeiro.

De acordo com o técnico santista, um dos motivos pelo qual a cabeça do zagueiro não estar bem nas últimas semanas é uma somatória de fatores, que envolve promessas de venda não cumpridas em anos anteriores, no qual a administração do Alvinegro estava nas mãos do ex-presidente José Carlos Peres, destituído do cargo por irregulares administrativos.

- Não vejo que essa saída do Lucas seja melhor para ele nem para o Santos. Acho que ele tem que sair de uma maneira melhor, por tudo que ele já fez pelo Santos. Cabe a mim continuar tentando. O jogador perdeu a confiança. A falta de credibilidade que se teve, devido a tantas promessas de que ele sairia, faz com que ele não tenha confiança. O Benfica pressionando como está, dizendo pra ele ir ou eles irão atrás de outro jogador. A cabeça do guri fica um trevo – afirmou Cuca.

Na ausência de Lucas, o Peixe iniciou a partida contra o Vasco com Luiz Felipe e Alex Nascimento na zaga. No intervalo, Luiz, que não fez boa partida, foi substituído, promovendo a entrada do atacante Soteldo, o que recuou o volante Alison para o sistema defensivo.

O Peixe tem semana livre e volta a campo apenas no próximo domingo (27), quando recebe o Ceará, na Vila Belmiro, às 18h15, pela 27ª rodada do Brasileirão, no último jogo de 2020. Ainda não se sabe se Lucas Veríssimo será convencido a atuar ou manterá a sua decisão de ficar de fora até a sua situação com o Benfica seja resolvida.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini