Cruzeiro vai iniciar conversas com jogadores para evitar novas ações judiciais e Fred é o primeiro da lista

Valinor Conteúdo
LANCE!
Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro


O Cruzeiro está se ainda em processo de organização para a temporada 2020. E, a principal meta da Raposa é se enquadrar na nova realidade após a queda para a segunda divisão.

O clube azul terá impacto forte em suas finanças com menos receitas de cota de TV, dívidas altas, gerando um desafio enorme para o conselho gestor, que assumiu a agremiação na última segunda-feira, 23 de dezembro.

O conselho já fez duas reuniões antes do Natal e voltará a trabalhar nesta quinta-feira, 26, para traçar os planos de recuperação financeira, com foco principal na readequação da folha salarial do clube.

O Cruzeiro quer evitar novas disputas judiciais e vai falar com o todos os jogadores do atual elenco para conseguir acordos que permitam o andamento de forma minimamente saudável do clube.

A Raposa não quer novas brigas com atletas, casos das ações de Thiago Neves e Fabrício Bruno, que cobram juntos, R$ 20 milhões do Cruzeiro por direitos trabalhistas.

- O Cruzeiro realmente não tem como bancar folha de Série A na Série B. Ainda mais com alguns contratos que significariam ampliar ainda mais as dívidas. Aumentar ainda mais os atrasos nos pagamentos. Portanto, tem que cair na realidade. Tem atletas que foram bons para o Cruzeiro, mas temos que conversar com eles. "Você quer ficar aqui para não receber?" Não tem como pagar salário na altura e no nível que estão recebendo - disse o CEO do Cruzeiro, Vittorio Medioli, à Rádio Itatiaia, que citou a forma equivocada como as finanças do clube foram conduzidas nos últimos tempos.










-R$ 700 milhões de dívida não é pouco. Certas coisas não foram conduzidas corretamente. E pegar neste ponto é duro, irá requerer um tempo para consertar isso - disse Vittorio Medioli

Na lista da Raposa para uma conversa franca sobre salários e como será a nova realidade do clube, tem o atacante Fred, que ainda tem débitos a receber em valores acima do patamar atual do time mineiro. Fred tem contrato com o Cruzeiro vai até dezembro de 2020.

- Melhor um mau acordo que uma boa briga. O Cruzeiro tem que levantar essa situação. Chamaríamos um a um, conversaríamos com tranquilidade. O Pedrinho falou que o nosso plantel será reduzido a 22 atletas. Alguns, ou vários, terão de vir da nossa base. Dar oportunidade a eles. E ter um time titular que possa realmente garantir as vitórias na Série B - completou Medioli.

Além das pendências financeiras diretas, o Cruzeiro terá de lidar com a disputa judicial do jogador com o Galo, que cobra mais de R$ 10 milhões de uma multa rescisória, pela saída do alvinegro em 2017 rumo à Toca da Raposa. A decisão do imbróglio será em 2020.







Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também