Cruzeiro negocia empréstimo de R$ 300mi para pagar dívidas

Yahoo Esportes
<em>Raposa teme que processos na Fifa causem punições, como o rebaixamento (Vinnicius Silva/Cruzeiro)</em>
Raposa teme que processos na Fifa causem punições, como o rebaixamento (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

O presidente Wagner Pires de Sá tentará na noite desta segunda-feira a aprovação no Conselho Deliberativo de um empréstimo de R$ 300 milhões para o Cruzeiro. Alguns conselheiros já foram chamados pela atual diretoria para se familiarizar com o tema. Eles ouviram que a ideia da Raposa é pegar os R$ 300 milhões para praticamente zerar as dívidas do clube.

Mas o empréstimo já está causando enorme polêmica interna. É que a bolada, negociada junto a uma instituição financeira inglesa, só começaria a ser devolvida em um ano e meio, a partir da assinatura do contrato – e em sete prestações semestrais. Ou seja, o empréstimo seria pago quase que de forma integral pelo próximo presidente.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Os juros seriam de 9% ao ano, ou seja, chegariam a 45% durante os cinco anos. Assim, os R$ 300 milhões saltariam para R$ 435 milhões, com a primeira parcela a partir de setembro de 2020 – a próxima eleição presidencial ocorre semanas depois. Cada uma das prestações ficaria em R$ 62,1 milhões, terminando apenas em setembro de 2023.

Para convencer os conselheiros a aceitarem o empréstimo, o Cruzeiro explicará que possui mais de 17 credores das dívidas atuais, entre adversários, agentes de jogadores, empresários, bancos, receita federal, FIFA… De acordo com a Raposa, os juros variáveis causam enorme dificuldade no planejamento e pagamento das mesmas. Com o empréstimo, a Raposa passaria a ter apenas um credor, com uma única taxa de juros.

Para conseguir o dinheiro junto aos ingleses, o Cruzeiro está disposto a oferecer como garantias bancárias imóveis e recebíveis futuros, como cotas de TV. Vale lembrar, no entanto, que o Barro Preto não pode ser utilizado para isso. O único imóvel cruzeirense regularizado atualmente é a sede administrativa, porém ela já está penhorada desde 2012.

A preocupação da diretoria é de que em dois meses comecem a explodir os inúmeros processos contra o Cruzeiro na Fifa. E, caso não pague, o clube poderá sofrer uma série de punições, como a proibição de registrar atletas ou até o rebaixamento de divisão.

PLANO DE PAGAMENTO DO EMPRÉSTIMO DE R$ 300 MILHÕES:
– 1ª parcela em 09/2020 – (R$ 62,1 milhões)
– 2ª parcela em 03/2021 – (R$ 62,1 milhões)
– 3ª parcela em 09/2021 – (R$ 62,1 milhões)
– 4ª parcela em 03/2022 – (R$ 62,1 milhões)
– 5ª parcela em 09/2022 – (R$ 62,1 milhões)
– 6ª parcela em 03/2023 – (R$ 62,1 milhões)
– 7ª parcela em 09/2023 – (R$ 62,1 milhões)

Veja mais de Jorge Nicola

Leia também