Cruzeiro nega manobra para mudar mando de campo na Copa do Brasil

O estádio José Gomes da Costa gera uma grande polêmica. O campo em que o Murici, próximo adversário do Cruzeiro na Copa do Brasil, manda seus jogos, foi bastante criticado pelos atletas que disputaram jogos lá há pouco tempo e perceberam a falta de capacidade do local para receber grandes jogos.

Para o confronto entre Murici e Raposa, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), pela Copa do Brasil, a diretoria dos mineiros nega qualquer manobra para tentar reverter o mando e levar o duelo para o Rei Pelé, em Maceió.

De acordo com o diretor de futebol Klauss Câmara, o time azul segue com o pensamento de disputar a partida no local informado. “A gente vem aqui, em nome da diretoria do Cruzeiro, dar nosso posicionamento. Nós não podemos ser responsabilizados por algo que não fizemos. Não foi feito nada por parte do Cruzeiro. Então, no que compete a outros seguimentos, não compete ao Cruzeiro”, destacou.

Ainda segundo o dirigente, a Raposa, em outro momento, buscou informações sobre o local, mas nunca tentou mudar o mando de campo e observa que o adversário atende a todos os requisitos para que o duelo aconteça em seu estádio.

“O Cruzeiro tomou todos os procedimentos necessários para identificar as condições do estádio do Murici para a partida. Vetar o estádio não é competência nossa. Existe um regulamento e o Murici está cumprindo o que consta no regulamento. Até a terceira fase são permitidos estádios com capacidade inferior a 10 mil torcedores”, finalizou.

Até o momento, o time de Mano Menezes eliminou Volta Redonda e São Francisco-PA. Os alagoanos, por sua vez, surpreenderam e bateram equipes conhecidas do futebol nacional: Juventude e América-MG.