Cruzeiro corta 60% de custos e prevê economia de R$ 55 milhões no futebol do clube

·2 min de leitura
Ronaldo e sua equipe tem trabalhado para cortar custos na Raposa -(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)


Ronaldo e seu time de colaboradores começaram a buscar ajustes no Cruzeiro assim que o acordo de pré-compra da SAF do clube foi feito, em 18 de dezembro. A meta era a redução de custos para tornar o clube viável economicamente.

E o trabalho do Fenômeno já trouxe uma redução de de R$ 55 milhões nos gastos anuais com futebol, de acordo com o diretor Pedro Martins.


No balanço divulgado pelo clube azul dos 120 dias de gestão da equipe de Ronaldo. diretor de futebol destacou a queda em 60% nos gastos com o futebol, com média, de R$ 4,6 milhões mensais de economia.

-mportante a gente falar de redução de custos e dos valores envolvidos nesse processo que venho falando. O clube conseguiu reduzir 60% dos custos da direção de futebol, o que representa R$ 55 milhões no nosso orçamento anual-disse Pedro, que descartou trazer jogadores caros para o clube nos próximos meses.


- Isso significa dizer que vamos conseguir investir mais em atletas para a equipe principal? Não. Isso vai fazer com que a gente consiga existir, sobreviver e pagar salários em dia. Na nossa visão, clube grande é clube que paga em dia. Nesse processo, é necessário e importante que a torcida entenda que é uma reconstrução- explicou.

Segundo Pedro, ter um elenco enxuto, com 26 jogadores no profissionale usar mais a base tem sido importante para o processo de corte de gastos.

- Ao longo do processo, a gente reduziu o elenco principal, de 43 atletas, em 2021, para 26, em 2022. Redução de 40%. A gente não tem condição de pagar 43 atletas na equipe principal, e a gente preza pela qualidade de trabalho. Se você olhar os principais elencos do mundo, não precisa ter muitos jogadores, você precisa escolher os jogadores certos, que fazem parte de um modelo de jogo, compreende as funções que os atletas possam executar-comentou.


Apesar dos bons números, Pedro Martins disse que ainda há muito o que fazer e revelou que a equipe de Ronaldo encontrou problemas maiores do que o esperado.

- São 100 dias em que a gente identificou um problema muito maior do que a gente imaginava que encontraríamos. Cem dias em que identificamos um clube com dificuldades para pagar contas básicas, salários inclusive pequenos, de funcionários que estavam aqui há muito tempo.

Até agora, a gestão Ronaldo teve de "apagar incêndios", com pagamentos de cerca de R$ 40 milhões em dívidas na FIFA e CBF para que o Cruzeiro pudesse registrar os reforços para a temporada. E, nos meses que virão, haverá novas pendências para que a situação do clube ganhe um respiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos