Cruzeiro contrata Ocimar Bolicenho, ex-Londrina, para ser o novo diretor de futebol do clube celeste

Valinor Conteúdo
LANCE!
Ocimar tem passagens por Ponte Preta, Athletico-PR, Bahia e Londrina- (Bruno Haddad/Cruzeiro)
Ocimar tem passagens por Ponte Preta, Athletico-PR, Bahia e Londrina- (Bruno Haddad/Cruzeiro)


O Cruzeiro já tem o seu novo homem forte do futebol. Trata-se de Ocimar Bolicenho, 61 anos, ex-executivo do Londrina. O dirigente foi a surpresa do dia na reapresentação do Cruzeiro na Toca da Raposa II.

Com a impossibilidade de contar com Alexandre Mattos, que ficará apenas 60 dias como consultor, para em seguida trabalhar na no Reading, da Inglaterra, o clube azul agiu rápido e já garantiu a pessoa que conduzirá o futebol em 2020.

Ocimar Bolicenho vai se reportar diretamente a Pedro Lourenço, vice de futebol e membro do conselho gestor do Cruzeiro. O novo diretor executivo de futebol da equipe celeste é , formado em Administração Esportiva na Universidade Federal do Paraná e possui passagens por clubes como Ponte Preta, Athletico-PR, Bahia e Londrina.




Ocimar foi apresentado por José Dalai Rocha, presidente do Conselho Deliberativo e atual interino do clube. O diretor de futebol colocou a chegada ao Cruzeiro como o seu maior desafio na carreira e disse que o clube está no lugar errado no momento.

-Com certeza será o maior desafio da carreira. Tenho certeza que conseguiremos recuperar o clube, o mais breve possível, pois o Cruzeiro não está no lugar que merece-disse em sua coletiva de apresentação.

Ocimar já iniciou os trabalhos e revelou que iniciou conversas com os representantes dos jogadores cruzeirenses e citou as situações de Dedé e Edílson, que podem deixar o clube.

-Tivemos hoje uma conversa muito boa com representantes dos atletas. Quanto a Dedé e Edílson, as duas situações(de saída) são especulações. De oficial, nada. Espero que amanhã, tanto Edilson e Dedé, cheguem para conversar e, se eventualmente aparecer, tiver a proposta, vamos analisar a questão - explicou, para em seguida justificar a não chegada do lateral-direito Orejuela, que, segundo o dirigente, teve um problema na passagem aérea, por isso não se apresentou.

Bolicenho terá o auxílio de Alexandre Mattos neste início de trabalho para se ambientar ao clube e a situação da Raposa, que vive uma crise sem precedentes, com dívidas na casa dos R$ 700 milhões e um enorme problema para conseguir montar o elenco para a disputa da temporada 2020, quando irá disputar a Série B do Brasileiro.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também