Croatas usam faixa em alusão a massacre para hostilizar goleiro do Canadá

O goleiro do Canadá Milan Borjan (Foto: Adrian DENNIS / AFP)

O goleiro Milan Borjan, do Canadá, foi hostilizado na derrota do Canadá para a Croácia pela segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo. Torcedores croatas xingaram o goleiro de 35 anos e sua família, e exibiram uma faixa em alusão a um massacre que aconteceu em 1995.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O motivo da faixa no Estádio Khalifa International envolve questões políticas. Milan Borjan, que nasceu em 1987 na cidade croata de Knin, já afirmou que é natural da República Sérvia de Krajina, que em 1991 se proclamou independente da Croácia em meio ao fim da Iugoslávia. Ele fugiu da região com os pais neste massacre.

Leia também:

A bandeira exibida dizia "Knin 1995: nada corre como Borjan", citando "a fugda" do goleiro. A faixa também cita a "John Deere", uma empresa mundial de tratores, porque, no massacre, os sérvios deixaram a região usando tratores.

O Canadá não pontuou nas duas rodadas do Mundial e está eliminado. Na primeira rodada, a equipe perdeu da Bélgica por 1 a 0 e, na segunda, foi goleada pela Croácia por 4 a 1. Para fechar a fase de grupos, o duelo será contra o Marrocos, na quinta-feira (1), às 12h (de Brasília).