Cristiano Ronaldo precisa superar caos e provar novamente sua liderança em Portugal na Copa

CR7 durante treino de Portugal (Foto: Reprodução Twitter Portugal)


Principal estrela e referência na seleção de Portugal, Cristiano Ronaldo chega para sua quinta e possivelmente última Copa do Mundo em baixa, vivendo seu pior momento na carreira e em ‘guerra’ com seu clube, o Manchester United.

+ Os jogadores que estão no álbum, mas não vão para Copa do Mundo do Qatar

Antes de se apresentar à seleção portuguesa, trechos de uma entrevista de CR7 ao programa "Piers Morgan Uncensored" foram veiculados, onde o craque disse se sentir traído pelo United, além de detonar o técnico do clube inglês, Eric Ten Hag, e alguns de seus companheiros.

O timing da entrevista não poderia ter sido pior, e a repercussão já faz efeito nos treinamentos dos Imortais, tendo em vista o comportamento frio do craque com Bruno Fernandes e a ‘bronca’ em João Cancelo no último treino da equipe.

Um dos vários talentos de Cristiano sempre foi silenciar as polêmicas envolvendo seu comportamento egocêntrico e midiático fora de campo com atuações convincentes e decisivas, mas o craque não vem correspondendo. Reserva no United, ele soma apenas três gols pelo clube inglês na temporada e está há quatro jogos sem balançar as redes pelo time nacional.

Não obstante, CR7 se deparou com a frustração de buscar um novo clube na última janela de transferências, mas não viu interessados.

+ Veja tabela e simule os jogos da Copa do Mundo

Há uma semana da estreia de Portugal na Copa, Cristiano Ronaldo precisa reafirmar sua grandeza ao mundo, e o craque acredita na mistura de experiência e juventude do grupo português para o torneio.

- Para esta Copa temos uma grande mistura de jogadores experientes e jovens estrelas em ascensão, e espero que possamos mostrar ao mundo do que esta seleção é capaz ao mais alto nível do futebol mundial - disse o camisa 7 à AP.

Cristiano é o jogador que mais vezes vestiu a camisa da Seleção de Portugal (181 vezes), o atleta com mais gols por uma seleção nacional (112 gols) e o jogador europeu com mais convocações (181).

O astro já levou Portugal ao título da Eurocopa, em 2016, e da Nations League, em 2018. Com 37 anos, a responsabilidade nas costas de CR7 é ainda maior, e caso o atacante consiga deixar as polêmicas envolvendo seu nome de lado e conduzir os Imortais a uma campanha positiva na Copa do Mundo, ele irá lembrar a todos de sua relevância no futebol, podendo ter um final digno da carreira que construiu no esporte.