Cristiano Ronaldo pode perder até R$ 50 milhões se Itália cortar salários

Goal.com

A pandemia do coronavírus covid-19 continua assolando o mundo e, em especial, a Itália. O país, que apresenta dados cada vez mais alarmantes da doença, foi um dos primeiros a paralisar seus campeonatos de futebol na Europa e agora procura soluções para enfrentar a crise. 

Estima-se que o prejuízo causado pelas partidas realizadas com portões fechados e pelos jogos adiados já chegue a 70 milhões de euros (cerca de R$ 379 milhões na cotação atual), valor que pode dobrar caso a situação se estenda pelo restante da temporada. Assim, segundo o Tuttosport, foi proposta uma redução proporcional dos salários dos jogadores das séries A, B e C italianas.

Gabriele Gravina, presidente da Federação Italiana de Futebol, projeta que os cortes cheguem a até 30% dos salários. Com isso, jogadores que possuem maiores vencimentos consequentemente deixarão de ganhar mais. No caso de Cristiano Ronaldo, que ganha 31 milhões de euros por temporada, essa redução pode chegar a quase R$ 56 milhões.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Enquanto os campeonatos não são retomados, a Juventus trabalha nos bastidores para seguir reforçando seu elenco. O primeiro passo planejado pela Velha Senhora é renovar o contrato de Cristiano Ronaldo. Após garantir a permanência de seu grande craque, que tem mais dois anos de contrato, o clube de Turim pensa em trazer um jogador para formar a dupla de ataque com o português. 

Nesse cenário, o nome de Gabriel Jesus começa a ganhar força nos bastidores. Inclusive, para Luca Toni, ex-jogador da Juve, o brasileiro seria o parceiro perfeito para CR7

A equipe de Cristiano Ronaldo e Maurizio Sarri é líder da Seria A, com 63 pontos, um ponto à frente da Lazio, em segundo lugar na tabela, e espera a volta da Champions League para tentar reverter a derrota para o Lyon e garantir uma vaga nas quartas de final da competição.

Leia também