Cristiano Ronaldo no Brasil? Jogador estaria disposto a ouvir propostas de clubes nacionais

CR7 se prepara para estrear na Copa do Mundo do Catar nesta quinta-feira (24) (OLI SCARFF / AFP)


Em meio a disputa da Copa do Mundo e faltando pouco para estreia de Portugal no Catar, o Manchester United anunciou por meio de nota oficial que rescindiu o contrato do atacante Cristiano Ronaldo.

Saiba quais são os jogadores com mais gols pela Seleção Brasileira em Copas do Mundo

Veja tabela da Copa do Mundo e simule os próximos jogos

De acordo com o clube inglês, o rompimento do contrato aconteceu de comum acordo.

- Cristiano Ronaldo vai deixar o Manchester United por mútuo acordo, com efeitos imediatos. O clube agradece a ele por sua imensa contribuição em duas passagens por Old Trafford, marcando 145 gols em 346 partidas, e deseja a ele e sua família o melhor para o futuro. Todos no Manchester United continuam focados em continuar o progresso da equipe sob o comando de Erik ten Hag e trabalhar juntos para obter sucesso em campo - diz a nota oficial divulgada no comunicado.

Nas redes sociais, torcedores do Brasil de vários clubes entraram em euforia e fizeram postagens pedindo para os presidentes e diretores de seus respectivos times que fossem atrás do jogador.

Há cerca de um mês, informação do jornal espanhol Diario AS, da Espanha, informou que CR7 estaria disposto a ouvir propostas de clubes do continente americano, e que teria como prioridade o Brasil e a MLS, dos Estados Unidos.

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza e um dos principais líderes da formação da nova liga no Brasil, afirmou que Cristiano Ronaldo cabe no futebol nacional, mas que reconhece que os valores envolvidos são altos.

- Cristiano Ronaldo transcende o futebol, é uma das personalidades mais conhecidas do mundo inteiro, ainda mais nesse mundo dinâmico que vivemos hoje com as redes sociais. Além da questão esportiva, que acredito que ele ainda tenha lenha pra queimar, traz uma imagem sensacional de mídia, atração de patrocinadores, visibilidade da marca da camisa que ele for vestir. É algo absurdo você imaginar que a presença dele lotaria o estádio em todos os jogos que disputasse, todas as cidades que visitasse junto com o time. É algo muito grandioso. Eu acho que cabe no futebol brasileiro, pois tem sua força, seus equipamentos, grandes marcas. Porém, certamente os valores envolvidos são muito grandes. Poucos clubes no país tem condições para isso. Deve vir aliado com uma estratégia comercial casada com a possível vinda dele - disse Marcelo Paz.

O português, que tentava deixar o Manchester United desde o começo da temporada, se envolveu em algumas polêmicas recentes na equipe. Em outubro, mesmo após a vitória sobre o Tottenham pela Premier League, por 2x0, ele deixou o banco de reservas e foi embora, o que irritou bastante o treinador Ten Hag e a torcida.

Alguns dias antes, no mesmo mês, o craque português foi substituído durante o segundo tempo e, na saída do campo, foi flagrado balançando a cabeça em tom de descontentamento com o técnico e pronunciando xingamentos, em português.

Segundo leituras labiais, o atleta teria dito palavrões em referência ao treinador. Essa, no entanto, não foi a primeira vez que o atacante demonstrou forte insatisfação com acontecimentos dentro do campo. No início do ano, em janeiro, Cristiano já havia sido protagonista de outra polêmica nos Reds Devils, também após ser substituído.

O fato se deu quando o atacante deixou os gramados na metade do segundo tempo da partida em que o clube de Manchester venceu o Brentford pelo placar de 3 a 1. Na ocasião, após ser substituído pelo então treinador Ralf Rangnick, Cristiano saiu de campo evidenciando seu descontentamento ao gesticular com o técnico e questionar sobre o motivo da troca.

Após o ocorrido, o atacante foi criticado pela imprensa inglesa, dentre eles o ex-jogador de Chelsea e Aston Villa, Andy Townsend, que considerou a atitude como inaceitável, e o jornalista Phil McNulty, da BBC, que desaprovou a personalidade de 'querer ser maior do que o Manchester United'.

O especialista em marketing esportivo, Fábio Wolff, entende que apesar de precisar evitar que as atitudes se estendam, Cristiano Ronaldo possui uma imagem 'muito boa', construída a base de muito trabalho e estratégia, evidenciada pelo seu profissionalismo e ações sociais que realiza para ajudar outras pessoas.

- O que está acontecendo agora são atitudes pontuais que ele tomou e que estão gerando polêmica. Ele deve prestar atenção para não deixar essas atitudes se estenderem, porque isso a médio e longo prazo não fará bem para a imagem dele. Ronaldo está passando por um momento de dificuldade de gerenciar esse período, mas não podemos julgar a imagem de uma carreira inteira por um pequeno momento de instabilidade - disse Fábio Wolff.

Armênio Neto, especialista em negócios no esporte e que também atua na intermediação entre marcas, clubes e jogadores, concorda que Cristiano Ronaldo tem uma imagem sólida e diz que esse tipo de atitude causa prejuízos à imagem do atleta apenas se for algo que se repita constantemente. Em casos esporádicos, ainda mais como o do último domingo, que mostra o desejo do atleta de atuar, não há crise.

- Resultados em campo costumam se sobrepor a eventuais deslizes de comportamento, desde que não sejam graves. Postagens e entrevistas mais ásperas acontecem e fazem parte da vida de um atleta superexposto. Mas a recorrência é que pode prejudicar a relação com as marcas e os fãs - explicou.

- O pós carreira é muito maior do que a própria carreira, ou seja, ao longo dos anos de trabalho, que na maioria das vezes é uma grande batalha diária, o atleta deve se preparar para os anos que virão. No caso de um super atleta como o Cristiano, a proporção de cuidado é muito maior, pois tudo que se faz vira uma grande notícia, vista de várias formas. É o preço da fama, é o preço que se tem quando se torna uma figura pública como ele. Todos nós sabemos que é um ser humano como todos e também erra, mas o cuidado deve ser redobrado e o carinho com os fãs deve ser ainda maior antes de qualquer atitude - disse Renê Salviano, CEO da agência Heatmap, especialista em marketing esportivo, e ex-agente FIFA, com participação em transferências internacionais de atletas.