Cristiano Ronaldo, Michael Jordan e Roger Federer: astros do esporte faturam bilhões no mundo dos negócios

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Eles são verdadeiros astros das modalidades que praticam. Mas, para além do universo esportivo, mostram aquele tino empresarial apurado, que os fazem se destacar também no mundo dos negócios. É o caso de nomes como Cristiano Ronaldo, do futebol, o ex-jogador Michael Jordan, do basquete, e Tom Brady, marido de Gisele Bündchen, do futebol americano. Colocando a mão na massa ou "dando cara" ao empreendimento, eles faturam alto, em negócios que chegam à casa dos bilhões de dólares.

O tenista Roger Federer, de 40 anos, é um deles. Com 25 títulos de campeonatos da modalidade, o suiço decidiu, há dois anos, se tornar sócio e investidor de uma marca. Figura conhecida em Wall street, a meca dos negócios, em Nova York, nos Eua, viu em pouco tempo o faturamento se multiplicar, como mostra reportagem da Revista "Veja": os saltos das ações da empresa na Bolsa de Valores de Nova York chegaram a um valor de mercado de cerca de US$ 20 bilhões.

Aos 36 anos, Cristiano Ronaldo é outro nome que expande os negócios para além dos campos de futebol. É dono de uma marca de roupas, hotéis e uma rede de academias. Além disso, como destacou a "Forbes", recentemente, é o jogador mais bem pago do mundo: deve faturar US$ 125 milhões (cerca de R$ 659 milhões) apenas na temporada entre este ano e 2022, agora que retornou para o time inglês Manchester United.

Mas muito antes desses dois, o ex-jogador de basquete Michael Jordan foi como um precursor nesse universo misto. Hoje com 58 anos e ainda tido como "Rei do Basquete", ele assinou, ainda na década de 1980, um contrato com uma marca de tênis. Até hoje considerado itens de colecionadores, Jordan já faturou mais de US$ 1 bilhão de dólares apenas com essa jogada. Atualmente, ele é empresário.

Na esteira vem o lutador Conor McGregor, do UFC. Mesmo tendo lutado apenas três vezes nos últimos três anos, vendeu por US$ 150 milhões (mais de R$ 800 milhões) a participação majoritária na marca de uísque que criou em 2018, destaca ainda reportagem da "Veja". Além dele, Tom Braddy, de 44 anos, possui uma marca de estilo de vida e é sócio de uma empresa de mídia. Firmou até uma parceria com uma empresa brasileira.

Ele, inclusive, investe em criptoativos. Fundou uma empresa que comercializa NFTs (ativos digitais únicos), itens digitais colecionáveis e certificados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos