Crise no Chile encerra campeonato com seis rodadas de antecedência

Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma reunião entre os clubes do Chile definiu nesta sexta-feira (29) o encerramento antecipado do Campeonato Chileno. Ainda havia seis rodadas a serem disputadas, porém a crise política e os protestos registrados há mais de um mês no país impediram o prosseguimento da competição.

Com o encerramento prematuro, a Universidad Católica foi declarada campeã. A equipe somava 53 pontos, 13 de vantagem sobre o vice-líder Colo-Colo, diferença que ajudou a definir a situação sem maior resistência dos concorrentes.

Participaram da decisão times da primeira, da segunda e da terceira divisão, com 42 votos a favor da medida adotada e três contra. Houve ainda uma abstenção.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Além do título da Católica, ficou estabelecido que o Colo-Colo avançou à fase de grupos da próxima Copa Libertadores. O Palestino, terceiro colocado, vai disputar a fase prévia da principal competição sul-americana.

A situação política do Chile já havia feito a decisão da Copa Libertadores, entre Flamengo e River Plate, que estava programada para a capital Santiago, ser transferida para Lima, no Peru. Os jogadores da seleção chilena também se recusaram a participar de um amistoso com o Peru, em Lima, por entender que o momento social não permitia futebol, mesmo no exterior.

Sem lideranças bem definidas ou uma pauta única, os protestos no Chile já duram um mês e meio. A insatisfação brotou com o aumento na tarifa do metrô, mas as demandas são múltiplas e incluem a mudança no sistema de aposentadoria privada. Ao menos 26 pessoas morreram e 2.800 ficaram feridas, o que deixou o futebol para depois.

Leia também