Criciúma repudia gritos de sua torcida contra a Chapecoense

No último domingo, um episódio triste marcou o clássico entre Criciúma e Chapecoense pelo Campeonato Catarinense. Da torcida do Tigre, partiram cantos que ironizavam a queda do avião da Chape em novembro de 2016, que vitimou praticamente toda a sua deleção que estava a bordo para disputar a final da Copa Sul-Americana além de profissionais de imprensa. A atitude que veio da arquibancada, no entanto, foi fortemente reprovada pelo clube.

Em comunicado oficial emitido nesta segunda-feira, o Criciúma informou seu repudio pelo ato de mau gosto de seus torcedores, esclarecendo que a postura não se encaixa com os princípios da instituição e até mesmo de sua torcida em geral, relacionando os gritos a um ato isolado de apenas “meia dúzia” de indivíduos.

As ações dos torcedores, no entanto, não passarão impunes. Em poder das imagens com os ataques feitos contra a Chapecoense, o Criciúma avisa que irá repassar o material para as autoridades, que tomarão as medidas adequadas.

Torcedores do Criciúma hoje cantando "ão, ão, ão, abastece o avião" para a Chapecoense, em referência à tragédia ocorrida no final de 2016. pic.twitter.com/V3VHyLg0yr

— O Canto das Torcidas (@OCantoOficial) April 24, 2017


Confira, na íntegra, a nota oficial divulgada pelo Criciúma:

O Criciúma Esporte Clube não compactua e repudia a manifestação de torcedores ocorrida na noite deste domingo (24/04), no estádio Heriberto Hülse, durante a partida contra a Associação Chapecoense de Futebol, válida pela última rodada do returno do Campeonato Catarinense. Esse tipo de manifestação de um grupo de torcedores não expressa os princípios do Criciúma Esporte Clube e sua grande massa torcedora, que tem maior respeito não só em relação a Chapecoense, como todos os clubes catarinenses, brasileiros e do futebol mundial.

 

O cântico entoado por meia dúzia de torcedores é de profundo mau gosto e não condiz com espírito desportivo que norteia o Criciúma Esporte Clube, bem como, a todos os coirmãos de Santa Catarina.

 

As imagens em questão serão encaminhadas as autoridades competentes para apuração de responsabilidade.