Crias de Cotia: revelados na base do São Paulo aguentam o 'tranco', em temporada difícil; relembre


Em temporada complicada e repleta de desafios, a presença de jogadores revelados na base do São Paulo - e com alguns ganhando mais espaço entre os profissionais - demonstra que as Crias de Cotia foram de suma importância para o esquema de Rogério Ceni.

Como está o São Paulo para a abertura da janela de transferências de 2023? O vaivém do mercado no Tricolor

Veja tabela da Copa do Mundo

Neste ano, o Tricolor encarou uma final de Paulista contra o Palmeiras, uma final de Copa Sul-Americana contra o Independiente Del Valle, uma semifinal de Copa do Brasil contra o Flamengo e lutou até o final do Brasileiro em busca de uma classificação na Copa Libertadores - mesmo sem sucesso.

Mas na maioria dos setores, as Crias de Cotia estiveram presentes - e entre os titulares. Veja a retrospectiva dos jovens que atuaram no São Paulo, neste ano!

Thiago Couto
Esta foi a primeira vez que o goleiro ganhou oportunidades na equipe profissional. Aos 23 anos, esteve presente em sete jogos. Estas oportunidades, por sua vez, foram possíveis graças a saída de Volpi, no meio do ano, e ao desfalque de Jandrei - quando o até então titular lesionou a coluna.
Se destacou em jogos como o contra o América-MG, quando defendeu um pênalti, nas quartas de finais da Copa do Brasil.

Diego Costa
Sem dúvidas, um dos maiores destaques do ano. Zagueiro titular de Rogério Ceni, dividiu a posição com grandes nomes, como o do veterano Miranda - que se despediu recentemente do São Paulo.
Aos 23 anos, contou com praticamente o dobro de jogos que disputou na última temporada. Em 2022, foram 49 partidas, com dois gols. Em 2021, esteve presente em 20. O desempenho foi tão grande que entrou na maioria das partidas com a braçadeira de capitão, mesmo com a presença de atletas mais experientes, como o próprio Miranda e o Rafinha em campo.

De acordo com dados do FootStats, Diego Costa liderou boa parte das estatísticas da defesa tricolor. Foi o melhor nas rebatidas (131 certas), o melhor zagueiro em desarmes certos (30), e o melhor zagueiro nas defesas também (11).
Com contrato até 2024, é, de fato, uma das grandes peças atuais de Rogério Ceni. A cria de Cotia perdeu o final da temporada devido à uma tendinite no joelho, mas já deve retornar na reapresentação do clube.

Léo Pelé
Ao lado de Diego Costa, foi uma das peças mais importantes da zaga no ano. Presente em 58 jogos, se consolidou como titular, mesmo com algumas oscilações e falhas que complicaram o São Paulo em alguns jogos. No mais, correspondeu, embora seja dúvida para o próximo ano. A cria da base tricolor também recebeu propostas da Europa.

Luizão
A zaga do São Paulo este ano foi praticamente dominada por jogadores mais novos - com exceção de Miranda. Luizão foi uma das grandes revelações. Em seu primeiro ano como profissional, com 20 jogos, chamou atenção por sua qualidade técnica e pelos destaques nas partidas que esteve em campo, mesmo sendo uma opção para reserva. Nestas ocasiões, mostrou segurança.
Entretanto, não deve permanecer para a próxima temporada. Com contrato até janeiro de 2023, como o LANCE! adiantou, o jovem recebeu propostas do futebol inglês.

Beraldo
Com 18 anos, este foi seu primeiro ano como profissional também. Jogou apenas quatro jogos, mas conseguiu se dar bem na maioria das oportunidades recebidas. Talvez a única exceção tenha sido no último clássico do ano, contra o Palmeiras, quando foi expulso. Mas é visto como uma das promessas e deve apoiar a zaga na próxima temporada também.

Rogério Ceni e Diego Costa - Ceará x São Paulo - Brasileirão
Rogério Ceni e Diego Costa - Ceará x São Paulo - Brasileirão

Diego Costa conquistou a confiança de Ceni (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)

Welington
Já na lateral do São Paulo, Welington foi um dos nomes de destaque também. Em seu segundo ano como profissional, aos 21 anos, disputou 51 jogos. Em 2021, esteve presente em 31. Com a saída de Reinaldo, Wellington - até o momento - segue como a única opção de Ceni para a lateral-esquerda.

Moreira
O jogador foi uma grata surpresa para o São Paulo na lateral-direita este ano. Seus primeiros jogos como profissional foram no Campeonato Paulista, mas o destaque aconteceu na Copa Sul-Americana, sendo autor de um dos gols na vitória por 4 a 1 contra a Universidad Católica.
Com apenas 18 anos, a expectativa é que se recupere da lesão no joelho - sofrida em outubro - e possa ganhar mais minutos no próximo ano.

Luan
Após um ótimo 2021 (presente em 41 jogos), enfrentou um sério problema com lesões este ano. Perdeu o começo de temporada ainda em recuperação de uma avulsão tendínea na coxa, voltou a ser relacionado, e novamente começou a sofrer com o mesmo tribulação - desta vez tendo que intervir com cirurgia.
Luan voltou a ser relacionado em setembro, após três meses afastado, e teve um grande momento ao ser o autor do gol da vitória contra o Atlético-GO, nas rodadas finais do Brasileirão.

Na última semana, o LANCE! apurou e o jogador mostrou interesse em continuar no Tricolor, onde foi revelado. Inclusive, treina nas férias para ‘voltar com tudo’. O volante mostra bastante empenho em recuperar seu espaço.

Pablo Maia
O volante começou a sua trajetória no profissional este ano também. Com 61 jogos - um dos que mais atuou na temporada - foi visto como a ‘revelação’ do Campeonato Paulista 2022.
Mesmo oscilando nas outras competições, voltou a ganhar espaço quando precisou repor as ausências de Gabriel Neves e Luan. É visto como um volante mais marcador, mas que também segue com futuro incerto. Na última semana, desconversou quando foi indagado se fica no São Paulo ou não - com propostas do futebol inglês.

Talles Costa
Nas 26 oportunidades que teve, chamou atenção pela segurança no meio de campo. Neste ano, enfrentou uma lesão no tornozelo, mas se destacou logo no seu retorno, quando deu uma assistência para um gol de Patrick contra o Fluminense, ainda no primeiro turno do Brasileiro.

Igor Gomes
Uma das temporadas mais instáveis do meia. Com 61 jogos, uma queda no rendimento no meio do ano e a expulsão contra o Atlético-GO, na semifinal da Copa Sul-Americana, foram cruciais para que perdesse espaço no elenco titular e começasse a ser contestado pela torcida. O jogador chegou, até mesmo, a deixar os gramados no estádio do Morumbi sob vaias.
No final do ano, começou a se reerguer e teve a chance de buscar sua redenção contra o Internacional, jogo no qual marcou um gol, mas foi anulado por um impedimento de Rodrigo Nestor.

Rodrigo Nestor
E por falar de Nestor, foi outro jogador que ocupou boa parte da titularidade no meio de campo também. Com 22 anos, jogou 62 partidas. Revelado na base tricolor, foi o líder em assistências este ano (11). O último jogador com o mesmo número de assistências no São Paulo em um ano foi Cueva, em 2017.

Caio
O atacante estreou como profissional neste ano, e marcou seu primeiro gol contra o Ayacucho, no último jogo válido pela fase de grupos da Sul-Americana. ‘Caiobinha’ é visto como uma das maiores promessas da base tricolor, mas sofreu uma grave lesão no joelho durante uma convocação da Seleção Sub-20, que o tirou de campo até o final da temporada. A expectativa é que retorne para o Paulista. Este ano, renovou seu contrato até 2026.

Rodriguinho
Com quatro jogos, também encerrou 2022 no departamento médico. O meia viveu uma ‘estreia dos sonhos’ quando marcou seu primeiro gol pelo profissional em seus primeiros 13 minutos de jogo pelo São Paulo de Rogério Ceni - na goleada por 4 a 1 contra a Católica.

Juan
Atacante de 20 anos e com 13 partidas este ano, encerrou a temporada contra o Goiás também com um gol na goleada por 4 a 0.
Com a saída de nomes mais velhos, como Miranda, Reinaldo e Eder, a pretensão é que mais nomes de Cotia sejam aproveitados por Ceni. Além dos citados, alguns que foram relacionados podem voltar a aparecer entre os profissionais, como Patryck, Maioli, Palmberg, entre outros.