Crespo está fechando com São Paulo com salário dez vezes maior

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Crespo com a taça da Sul-Americana no adeus ao Defensa y Justicia (Marcelo Endelli/Getty Images)
Crespo com a taça da Sul-Americana no adeus ao Defensa y Justicia (Marcelo Endelli/Getty Images)

Hernán Crespo deverá ser anunciado como novo técnico do São Paulo após a partida contra o Ceará, na quarta-feira. E a mudança para o Morumbi vai lhe garantir um aumento salarial gigante. Um mês dele e de sua comissão técnica no Tricolor vai equivaler a quase dez meses de seus vencimentos no Defensa y Justicia, com quem rompeu contrato no domingo.

Crespo faturava US$ 18 mil mensais ou aproximadamente R$ 100 mil no clube argentino. Nas negociações com São Paulo, Santos e seleção chilena, o treinador exigiu R$ 1 milhão por mês para ele e os membros de sua comissão.

Leia também:

A pedida foi considerada alta pelo Peixe, que passou a trabalhar para contratar Tiago Nunes. Um dirigente santista, inclusive, revelou ao Blog nesta segunda-feira que já recebeu a resposta do staff de Crespo sobre o acerto com o São Paulo.

Com o salário de R$ 1 milhão por mês, Crespo será um dos treinadores mais bem pagos do futebol brasileiro, só atrás de Jorge Sampaoli no Atlético-MG. O gremista Renato Gaúcho e o palmeirense Abel Ferreira ganham cifras próximas à pedida do argentino para o São Paulo.

Por falar no Tricolor, os custos com a comissão técnica vai mais do que dobrar. Fernando Diniz embolsava R$ 250 mil, enquanto os outros três auxiliares, juntos, ganhavam R$ 150 mil, num total de R$ 400 mil por mês. Desta maneira, o São Paulo passará de clube grande do estado que menos desembolsava com técnico para o que mais vai gastar, ao lado do Palmeiras.

Importante: antes de avançar com Crespo, o São Paulo se assustou com as pedidas de técnicos europeus, como Marco Silva, André Villas-Boas, Vitor Pereira, Bruno Lage... até o argentino Marcelo Gallardo foi consultado e assustou com as cifras exigidas: US$ 1 milhão por mês.